Noticias

19/01/2015

Novo secretário destaca combate à pobreza como desafio em São Paulo

“O jornal DCI de hoje, 19 de janeiro de 2015, apresenta matéria com os principais desafios da Secretaria de Desenvolvimento Social para os próximos anos. Me sinto honrado por ter sido designado pelo governador Geraldo Alckmin para esta missão.”

Leia a matéria na íntegra:

Eleito deputado federal pelo PSDB e considerado o melhor vereador de 2014, Floriano Pesaro assume pasta visando a disputa pelo executivo paulistano em 2016, já recheada de bons nomes

Novo secretário destaca combate à pobreza como desafio em São Paulo

Eleito deputado federal com mais de 113 mil votos, Floriano Pesaro optou por seguir em São Paulo e aceitou convite para integrar a secretaria estadual de Desenvolvimento Social. O secretário coloca como meta da pasta diminuir a extrema pobreza no estado.

Ao DCI, Pesaro disse que preferiu a secretaria ao Congresso federal por ver mais importância no trabalho executivo do que no legislativo, onde esteve nos últimos seis anos.

“Preferi ficar aqui, primeiro porque uma convocação do governador não é algo que se possa dispensar. Segundo, que o trabalho no Executivo é sempre mais importante que o Legislativo, na medida em que ele executa, ele tem operação com as diversas organizações da sociedade civil, enquanto que o trabalho parlamentar é um trabalho mais restrito à legislação e ao debate”, explica.

O secretário destaca que os principais desafios de sua pasta são acabar com a extrema pobreza no estado e priorizar as famílias em situação de risco.

“O principal desafio é diminuir a extrema pobreza em São Paulo, que é o estado mais rico da federação e temos que ter políticas estruturadas e articuladas para diminuir a pobreza”, avalia. “Vamos juntar os programas sociais e permitir que a prioridade seja dada ao cidadão, àquela família de alto risco social, onde podemos tirá-los dessa situação de extrema pobreza”, complementa.

Pesaro terá a difícil missão de acatar com as exigências do governador Geraldo Alckmin e comandar uma das pastas com mais recursos do executivo estadual, orçada em cerca de R$ 1 bilhão.
Em seu discurso de posse, no último dia 8, Floriano destaca a importância que é dada à secretaria.

“Uma pasta cujo orçamento ultrapassa a cifra de R$ 1 bilhão demonstra que a atual gestão estadual, comandada pelo governador Geraldo Alckmin, entende a posição estratégica que a Assistência e o Desenvolvimento Social têm em nosso estado e sua íntima relação com a redução da criminalidade, o aumento da qualidade de vida, a promoção da garantia de direitos e o desenvolvimento das pessoas”, disse em discurso.

Ao DCI, o secretário destacou que as orientações de Alckmin seguem por trabalho eficiente e monitoramento.

“O governo quer monitoramento e avaliação dos programas. Quer resultado e eficiência, o bom gasto do dinheiro disponível para a área de desenvolvimento social. Melhorar o gasto, melhorando o atendimento às pessoas e dando oportunidade para que elas saiam da condição de pobreza”, comenta.

Renovação tucana

Nos bastidores, a permanência de Pesaro em São Paulo pode estar motivada por um possível ingresso na (acirrada) disputa pelo executivo paulistano, em 2016. O tucano foi vereador pelo PSDB por 6 anos, sendo 4 deles como líder de bancada. Em 2014 foi considerado, pela ONG Voto Consciente, o melhor parlamentar do Legislativo paulistano.
Floriano é visto com bons olhos pelo tucanato paulista, exatamente por ter feito um trabalho de oposição ativa, enquanto foi vereador. Sua saída do legislativo municipal deixa a oposição “acéfala”, segundo um vereador (de outra sigla) disse à reportagem. Andréa Matarazzo (PSDB), outro nome forte no partido, assumiu a liderança da bancada.
O secretário ainda toma posse no Congresso e logo em seguida será licenciado para exercer sua atividade na pasta estadual.

Tucano foi secretário no governo FHC

Floriano iniciou sua trajetória na política em 1995, quando foi subchefe para assuntos parlamentares da Casa Civil da Presidência da República, no primeiro mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No Ministério da Educação, foi diretor de Projetos da Secretaria de Educação Superior, criou e implantou o Programa de Financiamento Estudantil (Fies).
Foi também secretário do Programa Nacional da Bolsa Escola, entre outras atividades de destaque no governo tucano.
“Sou um gestor público e tenho facilidade em trabalhar essa questão da gestão e da construção de políticas públicas”, diz Pesaro.

O secretário acredita que Alckmin depositou confiança pelo seu histórico. “O Governador queria alguém que pudesse trabalhar nessa área e consolidar uma marca social para o governo”, avalia.
Pesaro deixou o Legislativo municipal no final do ano passado e estava se preparando para assumir o cargo de deputado no Congresso. O convite de Alckmin pegou-o de surpresa.