Discursos

08/08/2013

13/05 – Transporte Metropolitano – Expresso Tiradentes

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Sr. Presidente, Srs. vereadores de São Paulo e telespectadores da TV Câmara, boa tarde. Volto a essa tribuna para dar continuidade ao desafio que nos foi apresentado pela bancada do PT, em especial da Sra. vereadora Juliana Cardoso, quando debatemos sobre o Expresso Tiradentes, sobre os investimentos e as articulações realizados na política de transporte metropolitano na cidade de São Paulo.
Hoje, especialmente, trago uma boa notícia. O Sr. Prefeito Gilberto Kassab e o Sr. Governador José Serra estão trazendo para São Paulo o que há de mais moderno no mundo no sistema de transporte sobre trilhos. Sabemos que o transporte metropolitano – vimos discutindo sobre isso – é um tema importantíssimo pelos benefícios que trazem à população de São Paulo, pelos que se utilizam dele e os que não.
Em respeito à inquietação, em especial a da Sra. vereadora Juliana Cardoso, é que trago, a pedido do Srs. Prefeito e Governador de São Paulo, as novidades e os dados sobre esse novo projeto que será implementado para o Expresso Tiradentes.
A grande novidade chegou fresquinha do Japão na tarde de ontem. Foi lá que o Sr. Prefeito pode observar o funcionamento do monotrilho, sem paralelo no Brasil. E é importante que a população entenda do que se trata, é uma tecnologia totalmente nova. Mais uma vez São Paulo, pelo seu gigantismo e importância no cenário nacional e internacional, sai na frente ao ser pioneira nesse tipo de tecnologia, trazendo mais qualidade de vida aos cidadãos.
Portanto, o Sr. Prefeito Kassab e o Sr. Governador Serra mostram respeito ao cidadão de São Paulo em buscar o que há de mais moderno em tecnologia. Destaco os seguintes pontos: primeiro, a Prefeitura e o Estado anunciaram a realização de um convênio para completar as obras até a Cidade Tiradentes. Isso é importante porque nos mostra que a Prefeitura não realizará a obra sozinha, mas em conjunto com o Estado.
O projeto é de um monotrilho, num trecho de 22 km, opera com veículos de 6 vagões, tração elétrica, pneus de borracha sobre um único trilho, daí a origem do nome: monotrilho. É de concreto, posicionado no centro de um elevado, a alimentação da energia é feita por um terceiro trilho, portanto, é elétrico. Não vai poluir o ar de São Paulo. Embora mais caro do que os corredores de ônibus, com os quais nos acostumamos desde a gestão do Sr. Jânio Quadros, o monotrilho elevado tem a vantagem de interferir menos na superfície e não provoca desapropriações – muito cara para a Prefeitura.
Para se ter uma ideia, cerca de 70 cruzamentos ou outras interferências viárias serão eliminadas com esse novo modelo. Cada uma das 59 composições previstas para o Metrô Leve Expresso Tiradentes terá capacidade para transportar mil passageiros. Portanto, será possível serem transportadas mais pessoas em veículos elétricos, em menor tempo. A demanda hoje estimada é de 350 mil passageiros por dia. Só para efeito de comparação, a linha japonesa, a nossa inspiração na cidade de São Paulo, atende, em média, a 280 mil passageiros. Portanto, proporcionalmente, essa obra será maior do que a hoje existente na cidade de Tóquio.
Quanto aos recursos necessários para a obra, a Prefeitura vai entrar com R$ 1 bilhão no orçamento e o Estado vai contribuir com R$ 1,3 bilhão. Vejam o compromisso do Sr. Governador José Serra em trazer o desenvolvimento no sistema metropolitano para a cidade de São Paulo. S.Exa. vai completar com mais recursos do que a própria Prefeitura.
Vou demonstrar, de forma bem didática, as fases da obra, para que depois V.Exas. possam reproduzir os dados na região de Vila Prudente, Sapopemba, Juta, São Matheus até chegar à Cidade Tiradentes. A primeira fase da obra dar-se-á da Vila Prudente, onde há uma estação de metrô convencional, até a estação de Vila Prudente, até o Parque São Lucas, por esse monotrilho, em cima da Anhaia Mello. Essa fase deve estar em funcionamento até o final de 2010. A segunda fase vai ligar o Parque São Lucas a São Matheus e entrará em funcionamento até dezembro de 2011. A terceira fase vai de São Matheus até a Cidade Tiradentes e entrará em funcionamento até o final de 2012, cumprindo o que foi prometido pelo Sr. Prefeito Gilberto Kassab e pelo Sr. Governador José Serra, durante a campanha eleitoral, concluindo a obra do Expresso Tiradentes, da melhor forma possível. Vai gerar um impacto ambiental positivo para a cidade, na medida em que se diminuem carros e ônibus em circulação, e são colocados veículos altamente eficientes, sob o ponto de vista do transporte coletivo, em número de passageiros e em relação a não poluição até o final do mandato do Sr. Prefeito Gilberto Kassab.
Então, essas obras serão realizadas e concluídas até o final de 2012. Digo isso especialmente aos telespectadores da TV Câmara e moradores da Zona Leste. Tudo isso já está previsto no Plano Plurianual da cidade de São Paulo. Estará na Lei de Diretrizes Orçamentárias e também no orçamento deste e dos próximos anos.
É por isso que aceitei o seu desafio, nobre vereadora, e trouxe aqui, de forma bastante didática, todas as informações relativas ao Expresso Tiradentes. Espero ter concluído essa fase de debates nesta Casa, referente ao transporte metropolitano.
Muito obrigado.