Projetos de Lei

11/08/2014

PDL 37/2014 – ““Dispõe sobre a outorga de Salva de Prata em homenagem aos 25 anos da Companhia de Teatro “Os Satyros”, e dá outras providências.”

Projeto de Lei

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO 02-00037/2014 do Vereador Floriano Pesaro (PSDB) 

““Dispõe sobre a outorga de Salva de Prata em homenagem aos 25 anos da Companhia de Teatro “Os Satyros”, e dá outras providências.” 

A Câmara Municipal de São Paulo D E C R E T A:

Art. 1º Fica concedida a honraria em forma de Salva de Prata com o objetivo de homenagear a Companhia de Teatro “Os Satyros”, por ser referência na difusão cultural e no estímulo ao teatro e outras artes da cidade e do país.

Art. 2º A entrega da referida homenagem será efetuada em Sessão Solene previamente convocada pelo Presidente da Câmara Municipal de São Paulo.

Art. 3º As despesas decorrentes da execução deste decreto legislativo correrão por conta de dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário.

Art. 4º Este decreto legislativo entra em vigor na data da sua publicação.

Sala das Sessões, Às Comissões competentes.”

 

Imprimir Versão para Impressão

Justificativa

JUSTIFICATIVA

 

PUBLICADO DOC 15/05/2014, PÁG 118

JUSTIFICATIVA 

PDL 0037/2014 

São incontáveis as razões para homenagear o trabalho extraordinário desenvolvido pelos Satyros na cidade de São Paulo. A Obra Social realizada pela Companhia Teatral no estímulo ao desenvolvimento e difusão das artes cênicas é de grande relevância.

A Companhia de Teatro “Os Satyros” foi fundada na Cidade de São Paulo, em 1989, por Ivam Cabral e Rodolfo Garcia Vázquez. Já com o primeiro trabalho, “Aventuras de Arlequim”, receberam o Troféu APCA de melhor ator (Ivam Cabral) e atriz coadjuvante (Rosemeri Ciupak), além da indicação ao Prêmio Mambembe de melhor texto (lvam Cabral e Rodolfo Carda Vázquez).

Em 1990, com a montagem “Sades ou Noites com os Professores Imorais”, a companhia se tornou nacionalmente conhecida. Em seguida, assume a direção do Teatro Bela Vista e realiza diversas e inovadoras iniciativas culturais.

Foi o grupo quem organizou o “Folias Teatrais”, evento em homenagem à primavera, deixando o Teatro Bela Vista aberto por 4 dias e 4 noites e, assim, apresentou a resistência da cultura naquele difícil momento. Durante o evento, a companhia recebeu artistas de diversos lugares do País, das áreas de artes plásticas, teatro, dança, música, jornalismo e literatura, demonstrando, assim, seu compromisso não apenas com as artes cênicas, mas com a cultura considerada como um todo.

Os Satyros começam a definir, em 1991, com a estreia de “Saló, Salomé”, uma linha própria de pesquisa. Depois de um ano em cartaz em São Paulo, o espetáculo representou o Brasil nos seguintes festivais de teatro europeus: o FITEI, em Portugal, e o Festival Castillo de Niebla, na Espanha. Desta forma, nasceu a sede portuguesa do grupo.

Em 2000, com a inauguração da sede paulistana da companhia na Praça Roosevelt, Os Satyros fecham as portas de seu braço português. Entre os anos de 2000 e 2005, quando deixaram a direção do Interkunst, Os Satyros trabalham em Curitiba, São Paulo e em diversas cidades europeias, pois o trabalho da instituição alemã não se limita apenas às cidades alemãs.

Como principais responsáveis pela revitalização da Praça Roosevelt – ao chegarem ali, o local era considerado um dos mais perigosos do centro da cidade – Os Satyros têm realizado trabalho social de importância ímpar.

Desde que chegou à Praça Roosevelt, o grupo realiza, no início da primavera, a maratona cultural “Satyrianas”. O evento oferece, durante 78 horas ininterruptas, incontáveis atividades teatrais de acesso livre aos moradores de nossa cidade, e passou, a partir de 2009, a integrar o calendário oficial do Estado de São Paulo.

Em sua última edição, a Satyrianas contou com a participação de mais de mil artistas, ofereceu 300 atrações e atingiu um público de cerca de 40 mil espectadores. Em seu curriculum, Os Satyros produziram 77 espetáculos, se apresentaram em 17 países e, das mais de 100 nomeações, receberam 46 prêmios – incluindo os maiores do teatro brasileiro, como APCA, Shell, Mambembe, APETESP e Governador do Estado do Paraná.

Pelo extraordinário trabalho desenvolvido pela Companhia de Teatro Os Satyros, dedicação à sociedade e compromisso com o povo paulistano através da difusão da cultura em nossa cidade, em justa homenagem, pretende o proponente o apoio dos nobres vereadores.

FLORIANO PESARO
Vereador – PSDB

Imprimir Versão para Impressão