Destaques

13/07/2016

Mais uma unidade do Bom Prato adere ao “Segunda sem Carne”

Nesta segunda-feira, 11/07, o restaurante Bom Prato de São Miguel Paulista aderiu à campanha mundial Segunda sem Carne, que incentiva a população a substituir uma vez por semana a carne animal por proteína vegetal. O objetivo da campanha é diminuir os impactos ambientais e orientar sobre a alimentação saudável. A unidade São Miguel é a 2ª das 51 unidades do Programa Bom Prato a aderir ao projeto que já conta com a aprovação dos frequentadores. O Bom Prato de São Miguel Paulista está localizado na Rua José Otoni, 256, Zona Leste da Capital.

O cardápio vegetariano completo com custo de R$ 1,00 para população foi servido a partir das 11h. Os frequentadores experimentaram arroz, feijão, pãozinho, salada de almeirão, escondidinho de soja, berinjela refogada, suco de guaraná e, de sobremesa, laranja. O secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, participou do almoço de lançamento.

A unidade, de segunda a sexta-feira, serve 300 cafés da manhã a R$ 0,50 e 1.600 almoços a R$ 1,00. Crianças até seis anos têm a refeição gratuita.

A campanha é uma parceria entre a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social de São Paulo, a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) e a Associação da Casa dos Deficientes de Ermelino Matarazzo (ACDEM), entidade gestora da unidade.

O cardápio vegetariano já recebeu aprovação de 92% dos frequentadores em São Miguel Paulista durante o primeiro almoço-teste realizado na segunda-feira (20/6). Cerca de 940 pessoas foram entrevistadas, sendo que 870 disseram ter gostado da iniciativa e cerca de 70 pessoas responderam não ter gostado. Das 940 pessoas ouvidas, 630 almoçam na unidade todas as segundas-feiras.

De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, a campanha é uma oportunidade para que o público descubra novos sabores sem perda de qualidade e valores nutricionais. “Além disso é uma forma de atenderemos aos objetivos para o Desenvolvimento Sustentável da ONU ao garantimos a segurança alimentar, a boa saúde, o respeito ao meio ambiente, o incentivo ao consumo consciente e ainda ajudarmos no combate as alterações climáticas”, afirmou.

“A produção de carnes representa hoje cerca de 15% das emissões de gases do efeito estufa em todo o mundo, e no Brasil é a principal causa de desmatamento e desperdício de água. A sociedade civil aplaude a adesão do Bom Prato São Miguel Paulista à campanha Segunda Sem Carne, que beneficia não apenas a saúde das pessoas, mas também a saúde do planeta”, disse Mônica Buava, gerente de campanhas da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB).

Sucesso em Santo Amaro

O Bom Prato de Santo Amaro foi a 1ª unidade a aderir à campanha Segunda sem Carne em dezembro de 2015.  A ação que poderá ser implantada de forma gradativa em outros restaurantes da rede já conta com 90% de aprovação dos frequentadores do Bom Prato de Santo Amaro.

Sobre o Bom Prato

Criado há 15 anos, a rede de restaurantes populares oferta alimentação balanceada e de qualidade (almoço e café da manhã), além de serviços como internet gratuita, com foco na população de baixa renda, idosos e pessoas em situação de vulnerabilidade social.

No Estado de São Paulo o programa é coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e atende anualmente mais de 20 milhões de pessoas.

Desde a inauguração em 2000, já serviu mais de 164 milhões de refeições. Atualmente há 51 unidades em funcionamento, sendo 22 localizadas na Capital, oito na Grande São Paulo, seis no litoral e 15 no interior.

O almoço tem custo de R$ 1,00 para o usuário. A alimentação é balanceada com 1.200 calorias, composta por arroz, feijão, salada, legumes, um tipo de carne, farinha de mandioca, pãozinho, suco e sobremesa (geralmente uma fruta da época). O subsídio governamental é de R$ 3,81 para adultos e de R$ 4,81 para crianças com até 6 anos, que têm a refeição gratuita.

Já o café da manhã é oferecido leite com café, achocolatado ou iogurte, pão com margarina, requeijão ou frios e uma fruta da estação. A refeição, de 400 calorias em média, custa R$ 0,50 ao usuário. Em setembro de 2011, este serviço foi implantado em todos os restaurantes, com subsídio do Estado no valor de R$ 1,03 por refeição matinal.

Fonte:

Centro de Imprensa

Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social

Tagged , , ,