Noticias

30/08/2014

GLORINHA COHEN- Hashará em memória de três jovens

“Que não tenhamos que trazer mais nenhum de nossos meninos de volta, para que não choremos os seus corpos”,

disse Floriano Pesaro em seu discurso.

O vereador e sociólogo Floriano Pesaro participou, na Sinagoga Beth Jacob, em São Paulo, da Haskará em memória de Eyal, Gilad e Naftali, os três jovens israelenses mortos pelos terroristas do Hamas. Presentes também o Cônsul de Israel, Yoel Barnea, e Ricardo Berkiensztat, vice-presidente da FISESP, além de dirigentes das lojas maçônicas judaicas.

Durante o evento, Floriano Pesaro, que é candidato a Deputado Federal nas próximas eleições, proferiu o discurso abaixo.

Crédito das fotos: Vagner Campos/A2 Comunicação

Floriano Pesaro - participa haskara

 

223_especial_1.4

 

223_especial_1.5

 

223_especial_1.1

 

223_especial_1.2


DISCURSO DO VEREADOR FLORIANO PESARO

HASKARÁ EM MEMÓRIA DE TRÊS JOVENS

Lá se foram três vidas. Três jovens estudiosos. Retirados de seu meio ambiente para a morte. Foram literalmente roubados de seu futuro para um fim sangrento.

Eyal Yifrach, de 19 anos, Naftali Fraenkel de 16 anos e Gilad Shaar, também de 16, foram sequestrados e mortos pelos terroristas do Hamas.

É triste imaginar a agonia destes três jovens nas mãos de terroristas, pegos para moeda de barganha e descartados até mesmo antes disso. É infame imaginar seus pais e familiares reféns de uma situação política.

Nosso povo se uniu em busca destes jovens como nunca, em todos os cantos do mundo, numa esperança infrutífera de resgatá-los com vida, na vã expectativa de que os guerrilheiros do Hamas pudessem ter alguma dignidade e devolver Eyal, Naftali e Gilad com vida para suas famílias.

Judeus do mundo todo iniciaram uma campanha para exigir a volta destes jovens violentamente arrancados de sua rotina diária, e em todas as partes do planeta vimos cartazes exigindo a volta de nossos rapazes.

BRING BACK OUR BOYS.

Fomos ingênuos. O terrorismo não conhece os limites da humanidade.

Desejo salientar que no campo da política internacional, o que aconteceu foi uma vergonha. Houve organismos que duvidaram da assinatura do Hamas neste sequestro e chegaram até a culpar Israel, conjeturando que o país teria planejado isso para implodir o governo de unidade entre Fatah e Hamas.

A campanha de difamação contra o pequeno estado judeu chega realmente a extremos.

Independentemente destas posições esdrúxulas, o repúdio internacional ao sequestro foi pífio e Israel esteve quase sozinho na busca incansável dos terroristas que perpetraram este ato.

Ao fim, só o que recebemos foram três corpos. Eyal, Naftal e Gilad não estarão mais conosco.

Assistimos comovidos toda uma nação de luto, chorando ao enterrar estes três jovens.

Infelizmente, vimos a paz tornar-se mais distante e uma guerra se instalou entre o Estado de Israel e os terroristas do Hamas, aqueles que não dão valor a qualquer vida humana, nem mesmo às do seu próprio povo.

Que não tenhamos que trazer mais nenhum de nossos meninos de volta, para que não choremos os seus corpos.

A nação e o povo judeu estão de luto. De novo.

Floriano Pesaro – Sociólogo e Vereador