Noticias

05/06/2014

FOLHA.COM- Vereadores aprovam projeto para mais corredores de ônibus em SP

Proposta enfrentou oposição de moradores e comerciantes de regiões que serão afetadas

Obras em quatro corredores foram modificadas após pressão de comerciantes

ARTUR RODRIGUES DE SÃO PAULO

A bancada da gestão Fernando Haddad (PT) conseguiu aprovar em segunda votação na noite de quarta-feira (4/6) na Câmara Municipal o polêmico projeto de alinhamento viário, que abre caminho para a construção de corredores de ônibus.

O projeto tem como objetivo garantir que seja respeitado um recuo maior para incorporações de imóveis em áreas próximas dos futuros corredores. A ideia é impedir que grandes prédios dificultem possíveis obras de alargamentos das vias.

A lei enfrentou grande oposição das moradores próximos de várias regiões da cidade onde há previsão de corredores, que temem desapropriações nas áreas próximas das vias.

Por causa de pressão de comerciantes e moradores, os vereadores já haviam garantido na época da primeira votação que mudariam o traçado do corredor que passaria pela avenida Nossa Senhora do Sabará, na zona sul.

De acordo com vereadores, outras três áreas da cidade tiveram ajustes após demandas de moradores.

As mudanças serão em relação à estrada D. João Néri (zona leste), avenida São Miguel (zona leste) e estrada do Alvarenga (zona sul).

“Deu para atender as reivindicações da maioria dos movimentos”, disse Arselino Tatto (PT). Para ele, é o projeto mais importante do ano, que permitirá a construção dos 150 km de corredores prometidos por Haddad.

Com a base de apoio rearranjada, diferente do que aconteceu na primeira votação, a situação conseguiu aprovar facilmente o projeto, com 35 votos a favor e 4 contra.

PROJETO

O alinhamento viário acontecerá em pelo menos 15 distritos de todas as regiões, como corredores dos distritos de Capão Redondo (zona sul), Penha (zona leste), Limão (zona norte) e Perdizes (zona oeste).

Em alguns lugares, o projeto permaneceu intocado, como no caso do terminal de ônibus que fará parte do futuro corredor da 23 de Maio, em Santana (zona norte). No local, comerciantes se mobilizaram e entregaram material ao Ministério Público Estadual, na tentativa de barrar o projeto para a região.

O vereador Mário Covas Neto (PSDB) alertou que várias outras vias que não estavam no projeto original foram incluídas foram incluídas sem que seus moradores tivessem tempo para se informar.

Isolados na oposição ao projeto, os tucanos fizeram várias críticas.

“Estamos falando entre 7.000 e 10.000 desapropriações ainda”, disse Floriano Pesaro (PSDB).

A gestão Haddad sustenta que o alinhamento viário não significa necessariamente que haverá desapropriações. O governo argumenta ainda que, para desapropriar, sequer precisaria aprovar essa lei.