Discursos

25/07/2013

26/02/2013 – CRATOD: ampliação e resultados

Sr. Presidente, nobres Vereadores, telespectadores da Tv Câmara São Paulo. Boa tarde.

Semana passada, em plena quarta-feira de cinzas (13/2), tive o prazer de acompanhar o governador Geraldo Alckmin na inauguração da unidade social para pré-atendimento do Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas – o Cratod.

A área externa do prédio foi reformada e agora é destinada exclusivamente ao atendimento social de dependentes químicos e familiares. O novo espaço vai aprimorar a comunicação entre parentes, dependentes químicos e funcionários do Centro.

Com isso, dependentes químicos e familiares receberão orientação e encaminhamento mais rapidamente.

Ali eles contarão com o auxílio de funcionários da Secretaria do Desenvolvimento Social, da Saúde e da Justiça. Estão à disposição assistentes sociais, psicólogos e enfermeiros. A conversa agora é mais próxima, o que facilita a comunicação e esclarece dúvidas neste primeiro contato.

Mas notem que esta é apenas uma das diversas ações que estão sendo elaboradas e implementadas por meio do Programa Estadual de Enfrentamento ao Crack.

Durante nossa visita ao Cratod, o governador Geraldo anunciou que o Estado vai ampliar o número de leitos para o tratamento da saúde mental. Serão mais 185 leitos, divididos entre oito hospitais, entregues em até 30 dias.

Aqui na nossa cidade, os novos leitos estão nos seguintes hospitais:
- Hospital Psiquiátrico Pinel (24 leitos);
- Hospital Geral de Taipas (oito leitos);
- Hospital Psiquiátrico de Água Funda (20 leitos);
- e Hospital Geral de Guaianases (quatro leitos).

Ter continuidade, coerência e convergência nestas questões intersetoriais é fundamental para que possamos avançar.

É por isso que desde o ano passado o Cratod está funcionando 24 horas diariamente. E mais: ali estão sendo investidos cerca de R$ 250 milhões para sua ampliação, acrescentando 1.200 novas vagas integralmente custeadas pelo governo do Estado para atender aos pacientes.

Com isso, vamos obter cada vez mais agilidade na triagem, vamos conseguir orientar as famílias de forma mais eficaz e ajudar os dependentes a enfrentar essa doença devastadora.

Não sei se todos sabem, mas o crack mata 30% dos seus usuários em um prazo de 12 anos – mais da metade deles nos primeiros 5 anos de dependência.

Por isso, temos que agir também na prevenção, no esclarecimento dessas questões para que todos tenham real conhecimento sobre o impacto devastador que esta droga tem na vida de um ser humano.

Trabalho árduo. Somente neste Carnaval foram internados 47 dependentes químicos de forma voluntária ou a pedido de familiares.

Para fazer frente a essa questão é que o Cratod está sendo reforçado: passamos a ter 21 psiquiatras a mais e cinco clínicos gerais, são 26 médicos a mais no trabalho 24 horas do plantão.

Desde o dia 21 de janeiro, o Cratod atendeu 6.093 ligações, realizou 1.203 atendimentos e internou 160 dependentes químicos. Das internações realizadas, 90% foram voluntariamente. As demais foram realizadas de forma involuntária, com o consentimento da família. Até o momento nenhuma internação compulsória foi realizada no Plantão Judiciário.

O crack há muito passou a ser questão de saúde pública. Seguindo essa mentalidade o Programa Estadual de Enfrentamento ao Crack foi idealizado. Somente com ações continuas e convergentes poderemos tratar a dependência e salvar vidas. Estamos no caminho!

Muito obrigado!