Discursos

11/09/2013

A melhoria dos trens de São Paulo nos últimos 18 anos

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Vereadores, amigos da TV Câmara São Paulo, quero registrar a presença da Bancada do PSDB, Vereadores Andrea Matarazzo, Mario Covas Neto, Coronel Telhada, Gilson Barreto, Claudinho de Souza, Aurélio Nomura, Eduardo Tuma e a ausência, nesta tarde, da nobre Vereadora Patrícia Bezerra, que está em Genebra, representando o PSDB com seu projeto de combate ao trabalho escravo na cidade de São Paulo. Nossos parabéns a nossa colega de Bancada do PSDB, nobre Vereadora Patrícia Bezerra.

Ontem o Governo do Estado inaugurou a Estação Vila Aurora, na Linha Sete, Rubi, da CPTM – creio que o nobre Vereador Mario Covas Neto também esteve presente. Agora, quem mora na Cidade D’Abril, Jardim Ipanema, Vila Santa Lucrécia, Parque das Nações, Conjunto Habitacional Voith e Parque Jaraguá, terá mais opção de transporte.

Já nas primeiras viagens, o Governo do Estado vai beneficiar cerca de 20 mil pessoas com essa Estação.

Localizada entre Jaraguá e Perus, a nova estação tem total acessibilidade para deficientes físicos”, uma luta minha, do Vereador Andrea Matarazzo, da Deputada Mara Gabrilli e tantos outros do PSDB. Acessibilidade para deficientes físicos, com elevadores, piso e rotas táteis, comunicação em Braille, corrimãos e rampas adequadas, além de banheiros comuns e para deficientes.

E mais: há ali uma opção de interligação entre modais. Um bicicletário com capacidade para 144 vagas foi construído junto à nova estação. Eu, como Presidente da Frente Parlamentar da Mobilidade, e o Vereador José Police Neto como o Vereador que mais pedala nesta Casa ficamos muito felizes com essa decisão do Governador Alckmin de priorizar o bicicletário na Estação.

Também fizemos um sistema de capacitação de águas pluviais para reuso e a parte externa recebeu o plantio de árvores e trabalhos de paisagismo.

Com investimento de 40,3 milhões do Governo do Estado, a Estação Vila Aurora se mostra como mais uma opção para deixarmos os automóveis em casa e utilizarmos o transporte público sobre trilhos, que é o melhor transporte público que temos no País. Aliás, o de São Paulo é também o melhor do Brasil. A CPTM vem trabalhando arduamente para se modernizar e aplicar o padrão metrô em sua rede: nos trens e na operação. Vale lembrar que metade dos 20 trens da Linha 7 – Rubi são novos, com ar condicionado e moderno sistema de operação, que dá mais segurança e estabilidade na rede ferroviária.

Nobres Vereadores Mario Covas Neto, Natalini e Andrea Matarazzo, queria pedir um minuto da atenção de V.Exas., porque nos esquecemos o que era e o que é hoje a rede de transporte metropolitano. O nobre Vereador Matarazzo foi Secretário, o nobre Vereador Mario Covas acompanhou seu pai, e nós pudemos acompanhar essa evolução.

Trouxe fotos de uma matéria da Veja São Paulo de 1995, quando o Governador Mario Covas assumiu o Estado e pegou essa malha ferroviária, e que até hoje persiste no Estado do Rio de Janeiro – com trens velhos, gente saindo pelas portas, “surfistas” de trem e problemas de mortes sobre os trilhos da ordem de 14 mortes ao ano, em média. Toda a reportagem está na Veja São Paulo, e vou disponibilizá-la no meu site floriano45.com.br.

A matéria é impressionante e diz o seguinte: “Desde o dia 30 de setembro foram depredadas nove estações, incendiadas quatro composições. A revolta dos passageiros contra os trens causou 39 milhões de reais de prejuízo à CPTM”. A companhia de trem que o Governador Mario Covas herdou era um lixo, um desastre. Vejam a foto, à esquerda, a quantidade de pessoas saindo pelas janelas e portas dos trens.

Mas digo aos colegas do PT que isso tudo é passado. O que o Governo do Estado fez nos últimos 18 anos de malha metro ferroviária é incrível, no Brasil. Não há nenhum comparativo, de nenhum governo petista, em relação ao que fizemos na região metropolitana de São Paulo, que começou no Governo Mario Covas e passou pelos Governos Alckmin, Serra e Alckmin novamente.

Em dezembro, a reforma da Estação Franco da Rocha ficará pronta. Logo depois, o Governador entregará Francisco Morato e Jaraguá. As estações Campo Limpo, Botujuru, Água Branca e Lapa logo entrarão em licitação. E são estações novas, totalmente acessíveis e totalmente sustentáveis, para usar a palavra da moda. Pensar a metrópole de forma integrada é isso. Investir na rede de transporte público de forma planejada e integrada. As ações são bem estruturadas e executadas com austeridade, responsabilidade e compromisso com o cidadão.

Nós não pintamos faixas no chão, aviso aos nobres Vereadores que me antecederam. Pintar faixa no chão, como faz a CET, é fácil. Agora, outra coisa é planejar um sistema modal que inclua as pessoas, que faça com que elas de fato possam se locomover, e estamos falando de 18 milhões de pessoas que se locomovem todos os dias na região metropolitana. Dessas, mais de 6 milhões em transporte sobre trilhos. Então, não é uma redezinha nem uma pinturazinha no chão que vai fazer a diferença no transporte público da Cidade ou da região metropolitana: é o Metrô e a CPTM que fazem a diferença nas nossas vidas.

Pensar a metrópole de forma integrada é isso, e é isso o que faz o Governador Geraldo Alckmin ao investir na rede de transporte público. Além de ampliação e modernização dos trens da CPTM, há ainda o Plano Estadual de Investimento em Corredores de Ônibus – corredores de ônibus, como o que o Estado fez no ABC paulista e que é usado pela SPTrans a pedido do Prefeito. Podemos compartilhar o corredor do Estado. Só faltava completar: “porque os nossos são uma porcaria?”; mas não cabe. Não estamos falando nem da faixa, porque confunde. Aliás, lá na frente o PT vai dizer que fez tantos quilômetros de corredores, o que vai ser mais uma mentira porque fez faixa e não corredor.

Somos favoráveis ao transporte de ônibus coletivo tanto que o Governo do Estado conseguiu em quatro anos – os dois anos finais de Serra e dois anos iniciais de Alckmin – investir mais em corredor de ônibus do que o Prefeito Fernando Haddad está se comprometendo. Não investiu nada, mas está se comprometendo.

Até o final de 2014, os investimentos previstos na ampliação de corredores, que fluem melhor o trânsito da Grande São Paulo, são de 1,96 bilhão de reais para a construção de 120 quilômetros. O Governo do Estado de São Paulo, com dinheiro do Tesouro! A previsão é que as vias, juntas, transportem diariamente cerca de 756 mil passageiros. Isso é um terço do que transporta a SPTrans. Só nos corredores do Governo do Estado de São Paulo! Só EMTU!

Não tenho as fotos comigo, mas se alguém se lembrar como era o transporte metropolitano e como é hoje com a EMTU, pelo amor de Deus, sabe o que estou dizendo. É só olhar e ver a qualidade dos ônibus!

Os corredores têm a função de melhorar a conexão entre as cidades da Grande São Paulo, fazendo ligações regionais de perimetrais que atualmente são feitas por ônibus de linhas administradas pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, a EMTU. Apenas dois corredores serão conectados à Capital: Guarulhos-Tucuruvi e Itapevi-Butantã.

A proposta da EMTU é que, até 2025, 67% das viagens intermunicipais feitas por ônibus na região metropolitana ocorram nessas faixas exclusivas; ou seja, 67% de todo o transporte das pessoas que moram na região metropolitana será por ônibus da EMTU. Atualmente, 17% delas correm por esse sistema.

Ao contrário do metrô, os corredores de ônibus são sistemas de média capacidade e obedecem a um plano específico, desenvolvido no começo da década e revisado posteriormente. Os traçados atendem locais que não têm a mesma demanda de uma região atendida pelo metrô ou por trens da CPTM. Além de serem obras mais baratas e mais rápidas, os corredores foram planejados para ligações com menos demanda do que o metrô. Não há um conflito entre construir metrô ou trens e os corredores. São obras complementares. Isso, em geral, as administrações do PT têm dificuldade de entender, que é o compartilhamento dos modais.

A melhora na rede de transporte urbano é muito impactante e temos visto isso ao longo dos últimos anos. Para se ter uma ideia, até o final do ano que vem o Governador Geraldo Alckmin vai entregar a estação Adolfo Pinheiro, da Linha 5 – Lilás, do Metrô.

O nobre Vereador Mario Covas Neto esteve lá hoje? Esteve na obra da Bandeirantes.

Tem aparte o nobre Vereador Alfredinho.

O Sr. Alfredinho (PT) – Obrigado. A função do Estado é fazer metrô, nobre Vereador.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – No Estado de São Paulo, porque nos outros é o Governo Federal que está fazendo.

O Sr. Alfredinho (PT) – Os números que V.Exa. apresenta são vergonhosos se considerarmos os quase 30 anos de governo do PSDB.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – São 18 anos, Vereador.

O Sr. Alfredinho (PT) – V.Exa. não está somando Montoro. Vocês todos estavam juntos.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Não, Montoro era do PMDB; aliás, da Dilma.

O Sr. Alfredinho (PT) – Aliás, todos éramos do PMDB. Fernando Henrique era do PMDB, Mario Covas era do PMDB. V.Exa. era novo; não sei se na época já era PMDB ou se já nasceu tucano.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Eu já nasci tucano. De bico vermelho, inclusive.

O Sr. Alfredinho (PT) – É vergonhoso vocês apresentarem esses quilômetros de metrô. Paulo Maluf fez mais do que vocês.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Não, não fez.

O Sr. Alfredinho (PT) – Quércia fez mais.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Esse dado deve ser do Chico Macena, que inventa dados.

O Sr. Alfredinho (PT) – Quércia fez mais.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Esse dado deve ser do Michel Temer.

O Sr. Alfredinho (PT) – Realmente, o que resolve o transporte de massa é o metrô, mas é necessário construir metrô. As faixas estão sendo criadas porque o metrô não consegue dar conta da demanda. Hoje, sequer se consegue entrar no metrô; você não entra, é jogado. Para sair dos vagões é a mesma coisa.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Isso acontece porque o transporte de ônibus é muito ruim; alias, é péssimo.

O Sr. Alfredinho (PT) – Vá agora, 17 horas, à estação Sé ou República e experimente entrar no metrô.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Isso acontece porque o metrô é melhor do que o ônibus.

O Sr. Alfredinho (PT) – Não é que seja melhor, é que não dá conta da demanda.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Nobre Vereador, V.Exa. concorda que as pessoas são racionais? Se elas usam o metrô com a frequência com que estão usando é porque o metrô ainda é o melhor modal. Os ônibus na cidade de São Paulo são um lixo. Ou V.Exa. acha que não são?

O Sr. Alfredinho (PT) – Claro que são necessárias mais linhas de metrô.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – O metrô é bom ou não é bom?

O Sr. Alfredinho (PT) – Claro que é bom.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Obrigado.

O Sr. Alfredinho (PT) – Só que é necessário construir mais linhas. Estou cobrando isso.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Também acho. E o Governador entende da mesma forma. Mas me deixe concluir para dizer o que será inaugurado no ano que vem.

O Sr. Alfredinho (PT) – Essa do ano que vem, há 30 anos estou reclamando.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Dezoito anos, Vereador.

O Sr. Alfredinho (PT) – A obra do Largo Treze de Maio foi um dos erros cometidos pelo Governador Covas, apesar de ter feito um bom governo. E falo do Governador Covas não em termos pessoais, mas políticos. A linha do Capão Redondo talvez nem tenha sido erro dele porque talvez fez aquela obra achando que os outros governos dariam continuidade; porque, do jeito ela ficou, liga nada a nada.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Agradeço o aparte de V.Exa. e ressalto que ônibus é ônibus e metrô é metrô. Acabei de dizer que um é de média capacidade e o outro, de grande capacidade . São modais diferentes, e isso o PT não entende.

Continuando, a melhora na rede de transporte urbano será muito impactante. Para se ter uma ideia, o Governo do Estado vai entregar até o final do ano que vem a Estação Adolfo Pinheiro, da Linha 5 – Lilás, do Metrô; as estações Higienópolis-Mackenzie, Fradique Coutinho e Oscar Freire, da Linha 4 – Amarela, e o primeiro trecho do monotrilho da Linha 15 – Prata, entre Vila Prudente e Oratório, na zona Leste. E mais: sete linhas estão sendo modernizadas e ampliadas. Além da Linha 7, que acabei de citar, vamos modernizar e ampliar a Linha 17 – Prata, na zona sul; Linha 6 – Laranja, em direção à zona norte, que está em processo de licitação do projeto executivo; a Linha 2 – Verde, na direção de Guarulhos; a Linha 18 – Bronze, além do monotrilho do ABC. Isso é comprometimento do Governador Geraldo Alckmin com planejamento, já feito e divulgado no Plano Plurianual – PPA 2012-2015. Portanto, é lei. Somente para expansão da rede de transportes metropolitanos foram destinados 60 bilhões de reais. Sessenta bilhões de reais do povo paulista, enquanto todos os outros metrôs do País são financiados com dinheiro federal pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos – CBTU, que, diga-se de passagem, consegue pagar mais caro os trens em Brasília do que os trens em São Paulo.

Estamos fazendo! Quando o Partido dos Trabalhadores nos acusa de termos feito pouco, de um lado isso é bom, pois há um reconhecimento. De outro lado, significa não terem nenhum senso de comparação. O que é pouco ou muito? Está-se comparando com o Rio de Janeiro? Pelo amor de Deus, coitados dos cariocas! Está-se comparando com o metrô de Brasília? Com o de Salvador? Com o de Recife? Com o de Fortaleza? Com o de Belo Horizonte? Com o de Porto Alegre? Qual é o parâmetro que o PT usa para avaliar o metrô de São Paulo? Sabem o que o PT faz? Vai procurar esse parâmetro na Cidade do México. Pelo amor de Deus! Na Cidade do México, o metrô é inteiramente federal. Querem comprar alhos com bugalhos.

Deixo esses dados para mostrar como eram os trens em São Paulo antes dos governos do PSDB – de Mário Covas, de Geraldo Alckmin, de José Serra e, agora, de novo de Geraldo Alckmin – e como são hoje.

Muito obrigado, Sr. Presidente. Muito obrigado, caros colegas. Obrigado, vereador Dalton Silvano, por sua gentileza.