Artigos

12/02/2014

4/2011 – B´nai Brith e Sherit Ha Pleitá

A história do povo judeu é longa, estendendo-se por milênios, incluindo anos bons e ruins, prosperidades e tragédias. Como estrangeiros ou povo livre, os judeus fortificaram sua fé num único Deus, introduziram o conceito do Shabat, sua crença na Bíblia e nos ensinamentos dos profetas.

Algumas vezes, entretanto, em dias difíceis e escuros, tiveram que lutar contra inquisidores e perseguidores. Foi assim durante o drama nazista. Aquilo que sofreu o povo de Israel na Europa nazista é inexplicável e absolutamente injustificável. Jovens, adultos, crianças, mulheres, idosos, todo e qualquer judeu, pelo mero motivo de sua crença, foi forçado a abandonar o mundo que conhecia e levado aos inauditos campos da morte. Milhares de vidas lá foram ceifadas.

Outros foram obrigados a trabalhar até que seus corpos não mais sustentassem o peso de seus próprios ossos. Sem falar naqueles que tornaram-se objeto de experiências médicas de monstros que se autointitulavam cientistas.

É exatamente para testemunhar e impedir que o mundo replique exemplo tal de bestialidade humana que o estimado vereador Gilberto Natalini e nobres entidades como o Sherit Hapleitá e a Bnai Brit hoje estão aqui. Junto-me a eles nesta recordação e neste alerta.

Que nossa memória seja a homenagem justa das vítimas desta barbárie. Que nossa vigília permanente seja a grito do silêncio destes milhares de falecidos dizendo: NUNCA MAIS!

Floriano Pesaro
Vereador