Noticias

15/12/2009

SP tem seu Dia Municipal em Memória às Vítimas do Holocausto: 27 de janeiro

Com a presença de rabinos e das principais lideranças da comunidade israelita, o prefeito Gilberto Kassab sancionou nesta segunda (14/12) o Projeto de Lei 129/09 que institui um Dia Municipal em Memória às Vítimas do Holocausto. Tornou-se a Lei 15.059. A cerimônia foi realizada na sede da Prefeitura.

Em seu discurso, o vereador Floriano Pesaro, autor da lei, lembrou a história de sua família, que também foi vítima dos horrores da Guerra. “Em abril de 1939, meus avós judeus Humberto Pesaro e Gabriela Cohen Pesaro tiveram que partir às pressas da Itália e embarcaram no primeiro navio, com meu pai, Giorgio, na época com 3 anos de idade, nos braços”, afirmou. Outras famílias Camerine, Muscati e Bolafi também vieram para o Brasil. Floriano ressaltou que, naquela época, todos já sofriam com as leis raciais na Itália, como mostrou em seu livro “1938 – um raio de céu azul. As leis raciais na Itália” a escritora Edda Bergman, que, por sinal, veio no navio com Giorgio. “A perseguição aos judeus foi implacável. Não é possível esquecer”, afirmou Floriano.

Com a sanção, o Dia Municipal em Memória às Vitimas do Holocausto passa a ser comemorado anualmente em 27 de janeiro, com homenagens e eventos de divulgação. A data já é celebrada mundialmente desde 2005, quando foi instituída pela Assembléia Geral das Nações Unidas. No dia 27 de janeiro de 1945 ocorreu a libertação dos presos do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, na Polônia.

"O Holocausto foi um período terrível da História da Humanidade. Essa data é a oportunidade de termos, na cidade de São Paulo, um dia especialmente destinado à reflexão", afirmou o prefeito Kassab.

Sobrevivente de Auschwitz, Ben Abraham, presidente da Sherit Hapleitá, disse que devemos sempre “aprender com o passado, para viver o presente e enfrentar o futuro com cabeça erguida”. “Cabe aos jovens este trágico legado para que nunca se permita que o holocausto aconteça de novo”, afirmou, emocionado.

Boris Ber, presidente a Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp), também reiterou a importância de a humanidade nunca esquecer o holocausto. “A comunidade israelita de São Paulo está muito satisfeita pelo dia municipal em memórias às vítimas do holocausto. “Não devemos permitir que o holocausto se repita.”

Para Claudio Lottenberg, presidente da CONIB (Confederação Israelita do Brasil) e do Hospital Albert Einstein, o holocausto é o “exemplo mais palpável da intolerância humana”. O secretário municipal de Esportes, Lazer e Recreação, Walter Feldman, elogiou a iniciativa do vereador Floriano Pesaro, pela luta em preservar as lembranças do holocausto.

Ao final da cerimônia na Prefeitura, os presentes acenderam a 4ª vela da Festa das Luzes (Chanuká), enquanto o rabino Henrique Begun fazia uma bênção em hebraico.

Leia a íntegra do discurso do vereador Floriano Pesaro.

Veja a íntegra da Lei 15.059.