Noticias

16/10/2009

1ª Turma de Capacitação e Inclusão de Pessoas com Deficiência no Setor Bancário

O prefeito Gilberto Kassab participou nesta sexta-feira (16/10) da formatura da 1ª turma do Programa de Capacitação Profissional e Inclusão de Pessoas com Deficiência no Setor Bancário. Resultado de uma parceria firmada entre a Prefeitura, por intermédio das secretarias municipais do Trabalho e da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, e com a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), o projeto capacitou 350 alunos portadores de deficiência que já estão trabalhando na área. A cerimônia foi realizada no Hotel Maksoud Plaza, região da Paulista.

Após entregar os diplomas às alunas, Giovana Boni de Aguiar e Rosilda Targino da Silva, o prefeito salientou a importância de projetos como esse, que promove a inclusão e o exercício da cidadania. "Hoje é um dia especial para todos nós. Este projeto da Prefeitura em parceria com a Febraban vai além da capacitação. Essas pessoas saem daqui hoje com o diploma na mão e empregadas nas diversas áreas do setor bancário, que absorve esses profissionais. Esperamos que outras entidades tenham iniciativas semelhantes para que possamos atingir nosso objetivo de fazer de São Paulo uma das cidades mais inclusivas do mundo", falou Kassab.

O programa piloto é pioneiro no Brasil. Os participantes começaram a trabalhar no sistema bancário em setembro deste ano, nas funções de operador de call center, iniciante de agência, iniciante administrativo e caixa. Os candidatos foram pré-selecionados, em novembro do ano passado, por meio do Programa Inclusão Eficiente, no Centro de Apoio ao Trabalho (CAT), da Prefeitura de São Paulo.

Todos os participantes tiveram, desde sua admissão, carteira assinada, com salário inicial de R$ 616,40, para uma jornada diária de quatro horas de trabalho, além de todos os benefícios previstos na convenção coletiva do setor bancário. Além de auxiliar a Febraban na orientação dos primeiros passos do projeto, a Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida também ministrou palestras aos alunos nos cursos de capacitação.

O programa foi criado com base na necessidade de os bancos se adequarem ao decreto 5.296/2004, a chamada lei de cotas. Pesquisa realizada pela Febraban, em 2006, identificou que 78,7% das pessoas com deficiência no país têm menos de oito anos de estudo, fator limitante para o desenvolvimento pessoal e profissional. Tanto é que para muitos dos alunos bancários, que têm idade entre 18 e 65 anos, esse é o primeiro emprego.

A capacitação contou com duas etapas. A primeira, denominada Aprimoramento Educacional, é destinada aos contratados que tenham Ensino Médio completo. O curso tem duração de três meses e é ministrado pela equipe da Universidade UniSant’Anna. Depois desse período, os alunos receberam mais três meses de qualificação técnica, específica para o setor bancário. A outra etapa, intitulada Supletivo Ensino Médio, é voltada aos 147 participantes que não concluíram o Ensino Médio. A duração do curso é de 12 meses e está sendo ministrado pela equipe do Cursinho da Poli. A conclusão desta turma está prevista para meados de 2010.

FONTE: Secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Paulo