Noticias

10/09/2009

PLANETA SUSTENTÁVEL – Manual de Etiqueta Sustentável

120 ideias para enfrentar o aquecimento global e outros desafios da atualidade

O Jogo Mudou

Ecologia deixou de ser um assunto restrito a entusiastas e cientistas. O tema muitas vezes visto como árduo, no passado, agora ocupa as manchetes de jornais e, até, as colunas sociais.

O que era chato ficou chique. Empresas, mídia, governos, bancos, astros de Hollywood e do Brasil passaram a discutir – com urgência – como fazer para salvar o homem do aquecimento global e melhorar a qualidade de vida na Terra.

A noção de sustentabilidade – desenvolvimento que não compromete o futuro – começa a ganhar as ruas.

O movimento Planeta Sustentável faz parte dessa corrente que pretende amenizar nosso impacto sobre o ambiente e tornar a convivência social cada vez mais civilizada.

Este manual quer provar como é possível promover pequenos gestos que conduzirão a grandes mudanças se forem adotados por todos nós. Um bom começo é praticar os “três erres”: reduzir, reutilizar e reciclar.

As dicas e informações que você vai ler aqui podem ser aplicadas no dia-a-dia agora mesmo, em sua própria casa, no trabalho, circulando pelas ruas e em sua vida pessoal.

A luta pela sustentabilidade será vencida em diversas frentes – que vão da tecnologia à política.

Mas em todas elas será preciso promover a mudança de hábitos pessoais. Este manual ensina como começar a modificar os seus. É preciso fazer algo. E devemos fazer já.

Água

Quase 20% da população do planeta (mais de 1 bilhão de pessoas) não tem acesso à água potável

1. Não há nada de errado em tomar água “torneiral”! Saiba que ela é bem tratada antes de chegar a sua casa. Melhor que ter incômodos garrafões é instalar um purificador na torneira. O consumo de água engarrafada envolve o transporte em veículos a diesel.

2. Usar a mangueira de água para varrer a calçada, a chamada "vassourinha hidráulica", por 15 minutos, desperdiça 280 litros de água. Mais sensato é pegar a vassoura, juntar a sujeira, recolher com a pá e só depois enxaguar o chão.

3. Não deixar que as torneiras fiquem pingando inutilmente é economia líquida e certa de água e de dinheiro.

4. Pensar com carinho na possibilidade de colocar acumuladores de energia solar e de coleta de água das chuvas em sua casa pode ser um bom investimento para você. E um alívio para o planeta.

5. Identificar vazamentos em casa não é tarefa difícil. Fechando as torneiras e interrompendo o consumo é possível observar se os indicadores do hidrômetro continuam girando. Se estiverem, você está desperdiçando dinheiro e água.

6. Assim como escovar os dentes ou fazer a barba com a torneira aberta, ensaboar a louça com água limpa escorrendo na pia é puro desperdício.

7. Uma boa saída para economizar água é fazer uso de aeradores, aquelas peneirinhas instaladas nas torneiras e até no chuveiro. Eles introduzem ar proporcionando sensação de maior vazão e um fluxo mais intenso, mas diminuindo o consumo de água.

8. Existem diversas opções para lavar o carro a seco. Algumas são até mais baratas do que a tradicional, que consome centenas de litros do precioso líquido. Lavar menos o carro também ajuda a economizar água.

9. Para tornar a dica acima ainda mais eficiente, reduzir a pressão da água por meio do registro também contribui para baixar o consumo e diminuir o valor da conta no final do mês.

10. Anotar em um diário ou agenda o gasto mensal de água permite controlar melhor o consumo e, depois de um ano, rever e corrigir seus hábitos e os da sua família em casa. Isto também vale para as contas de energia elétrica.

11. Vasos sanitários com caixa acoplada utilizam 6 litros de água por descarga em vez dos mais de 20 litros das válvulas de parede convencionais. Modelos mais modernos trazem ainda um duplo botão para 3 e 6 litros, que podem ser acionados de acordo com a necessidade.

12. Aquela água que sai da máquina depois da lavagem de roupas pode ser reaproveitada para lavar a área de serviço.

13. Despejar restos de tintas, vernizes, inseticidas e outros produtos químicos no vaso sanitário ou no ralo contamina a água e dá um trabalhão para as companhias de saneamento. Se sobrar, doe. Pontas de cigarro, preservativos e absorventes podem até entupir encanamentos.

14. Você sabia que molhar jardins e plantas pela manhã ou ao entardecer evita perda de água pela evaporação? E que nos dias mais frios pode-se aguá-las dia sim, dia não, sem deixar que elas morram de sede?

15. Vizinhança Sustentável – Instalando medidores individuais de água é possível incentivar a redução do consumo. Investir na construção de cisternas facilita a captação e o aproveitamento da água das chuvas.

Energia Elétrica

Quase 87% da energia produzida no Brasil vem das hidrelétricas, fontes limpas, mas limitadas

16. Parece incrível, mas limpar periodicamente todas as lâmpadas da casa pode ajudar a economizar energia.

17. Abrir a geladeira e ficar pensando no que vai pegar pra comer com a porta aberta gasta energia.

18. Verificar periodicamente a eficiência da borracha da porta da geladeira evita que problemas de vedação deixem entrar calor e consumir mais energia elétrica.

19. O termostato da geladeira perfeitamente ajustado é também uma ótima e fácil maneira de não desperdiçar energia elétrica inutilmente. No manual do aparelho é possível encontrar todas as informações sobre como fazer isso.

20. Na hora de comprar eletrodomésticos é possível escolher os mais eficientes no consumo de energia. Eles são reconhecidos pelo selo do Procel (nas marcas nacionais) ou Energy Star (nos importados). Detalhe: eles não são mais caros.

21. O screen saver cheio de efeitos especiais do computador não é a melhor maneira de economizar energia. O monitor ligado, mesmo com aquele descanso de tela bacana, é responsável por até 80% do consumo do computador. Mais eficiente é configurar a máquina para o modo de economia de energia. Assim, ele vai desligar automaticamente toda vez que você se ausentar.

22. Seja bem-vinda a luz natural! Abrir janelas, cortinas, persianas, deixar o sol entrar e iluminar a casa é bem melhor que acender lâmpadas desnecessariamente. Além de fazer muito bem ao seu humor, você também vai economizar dinheiro no fim do mês.

23. Optar por um notebook, se tiver a chance, ajuda a consumir muito menos energia que um computador de mesa.

24. Desprezar o elevador e utilizar a escada se tiver de subir ou descer um ou dois andares faz bem saúde e economiza energia elétrica.

25. Mudar a geladeira e o freezer de lugar pode fazê-los gastar menos eletricidade. Ao colocá-los próximos do fogão e de áreas onde bate sol, eles utilizam muito mais energia para compensar o ganho de temperatura. E você? Mantém esses aparelhos protegidos do calor? Aproveite a oportunidade para avaliar se você precisa mesmo de um freezer.

26. Monitores de computador de LCD são mais eficientes energeticamente, ocupam menos espaço na mesa e estão ficando cada vez mais baratos.

27. Ideia luminosa é trocar as lâmpadas incandescentes do banheiro, da cozinha, da lavanderia ou da garagem pelas fluorescentes. O motivo é para lá de convincente: elas duram até 10 vezes mais, são mais eficientes e economizam até um terço de energia elétrica.

28. O ideal é ter o hábito de deixar janelas e portas abertas para ventilar a casa e não precisar usar ventiladores nem ar condicionado. É assim em sua casa? Mas, se compararmos as duas opções, os ventiladores de teto consomem muito menos energia que os aparelhos de ar condicionado. Se você ainda preferir o ar condicionado, use-o racionalmente e lembre-se de fechar bem portas e janelas e manter os filtros limpos.

29. Evitar a torneira elétrica nos dias quentes é uma atitude sensata e econômica. Aliás, para quê esquentar a água da pia se vivemos num país tropical? Pense nisso.

30. Esquecer o carregador de celular ligado parece um pequeno descuido, mas gasta muita energia elétrica.

31. Usar a secadora pode ser muito prático, principalmente em dias de frio ou quando a área de serviço é muito pequena. Mas recorra a ela apenas em casos mais urgentes. Pendurar as roupas no varal é que é realmente sustentável.

32. Os aparelhos que ficam dia e noite em modo stand by são mais uma nova invenção em nome do conforto. Só esqueceram de dizer que isso consome energia sem necessidade. Puxar a tomada de todos eles quando não estiverem em uso faz o valor da conta de luz cair bastante.

33. Muita gente usa o forno de microondas como relógio de cozinha, porque deixa o aparelho ligado dia e noite, mesmo sem uso. Esse pequeno descuido também contribui significativamente para o aumento do consumo de eletricidade.

34. Já estão disponíveis carregadores movidos a energia solar para aparelhos eletrônicos portáteis. Eles são um pouco mais caros, mas garantem energia limpa e gratuita para celulares, MP3, MP4 e máquinas fotográficas digitais por anos e anos.

35. Nas horas prazerosas de leitura noturna adotar um abajur cai muito bem. Além de criar um ambiente mais aconchegante e sossegado, o abajur evita que uma lâmpada mais potente fique acesa.

36. Quanto mais novidades a tecnologia acrescenta às geladeiras, mais elas consomem energia, por isso sempre é bom optar pelas mais simples. Sem contar que os modelos cheios de "frescuras" – como água na porta e degelo automático – também são muito mais caros.

37. Duas informações úteis para economizar com a máquina de lavar roupas:

1 – Juntar uma quantidade razoável de roupas para só depois lavá-las (isto também vale na hora de passá-las a ferro);
2 – Pré-lavagem é sinônimo de desperdício de energia. Basta apenas deixar as roupas mais sujas de molho no sabão antes de ligar a máquina.

38. Uma secadora de roupas comum aumenta significativamente o valor da conta de luz. Colocar as roupas ao vento no varal – inclusive aproveitando o sol do nosso país tropical – é de graça.

39. Manter um telhado ecológico, ou telhado verde, coberto de vegetação, não é caro nem complicado. Algumas vantagens: são purificadores de ar naturais – pois aprisionam carbono – além de isolantes acústicos e térmicos, dispensando a necessidade do uso de aparelhos de ar-condicionado.

40. Deixar o secador de cabelos de lado é uma boa medida para economizar tempo e energia elétrica, além de ajudar a fortalecê-los, já que o ar quente deixa os fios quebradiços.

41. Economizar energia com eletro-eletrônicos é fácil. Basta instalar réguas de tomadas com botão liga/desliga em todos eles. Além de evitar que fiquem em stand by, as réguas protegem os aparelhos de curto-circuitos, pois são equipadas com fusíveis de segurança.

42. Vizinhança Sustentável – Painéis de energia solar para aquecer a água do chuveiro estão ficando cada vez economicamente viáveis. Discuta a possibilidade de sua instalação com os vizinhos.

Cidadania

Ser um cidadão é participar das decisões da sociedade em benefício de uma cidade melhor e de um país mais justo para todos

43. Temos o direito e o dever de denunciar abusos contra o meio ambiente, como o despejo de lixo nos rios, desmatamentos e maus tratos aos animais. Cobrar atitudes dos políticos também faz parte da nossa cidadania.

44. Levar seu filho escola em caminhadas é saudável. Faz com que ele se habitue a andar a pé e preste mais atenção ao lugar onde vive. Se não for possível, dê carona aos coleguinhas dele.

45. Deixar o carro na garagem pode ser mais confortável do que se imagina. Utilizando o transporte coletivo fora dos horários de pico fica fácil encontrar um lugar para sentar-se e ler o jornal ou saborear um bom livro.

46. Compartilhar o carro com os amigos e colegas é bom para todo mundo. “Praticando a carona solidária diminuímos a emissão de poluentes, levando pessoas que fariam o mesmo trajeto separadamente”, recomenda o ambientalista Fábio Feldmann.

47. Sofrer em engarrafamento para ir ao banco e depois testar a paciência numa fila interminável são coisas do passado. Hoje é possível colocar em dia todas as transações financeiras pela internet, sem sair do conforto de casa. A cidade agradece.

48. Ir às compras caminhando até o mercadinho ou feira perto de casa pode ser divertido e saudável. Vá lá, pode ser que um ou outro produto esteja um pouco mais caro que naquele hipermercado de sua preferência. Mas a economia de combustível e de paciência ao se evitar aquela procura cansativa por uma vaga no estacionamento lotado não tem preço.

49. Não tem atitude mais grosseira e anti-cidadã que atirar latas ou outros dejetos pela janela do carro. As crianças precisam saber disso quando estão a bordo.

50. Conscientizar seus filhos dos problemas com o aquecimento global sem fazer terrorismo faz bem para a formação deles. A idéia não é deixá-los sem esperança, mas bem informados e dispostos a cuidar melhor do planeta que as gerações passadas.

51. Calçada ecológica é aquela onde o cimento não predomina, já que ela é pavimentada com grama, com espaço para flores e até uma árvore. A vantagem é que ela deixa o visual da rua mais agradável, ajuda a absorver as águas das chuvas e contribui para a melhoria da qualidade de vida da cidade.

52. Carro não é o meio de transporte ecologicamente mais correto. Usá-lo com moderação é sempre recomendável, especialmente para quem tem aqueles enormes 4×4 movidos a diesel.

53. Cobrando dos vereadores, do prefeito e do governador melhorias no transporte coletivo urbano, você contribui para aumentar a mobilidade e a qualidade de vida para todos os cidadãos. Esse exemplo de cidadania pode ser realizado por telefone ou pela internet.

54. Pedir ao gerente do banco que ele aplique seu dinheiro em investimentos socialmente responsáveis, os ISRs, farão com que seus lucros sejam provenientes de empresas que respeitam práticas ambientais e trabalhistas.

55. Ser cidadão é também praticar o voluntariado em uma instituição próxima da sua casa ou do trabalho, doando um pouquinho do seu tempo para quem necessita.

56. As lojas especializadas comercializam bagageiros para ser instalados em bicicletas. Assim, é possível ir às compras com a magrela fazendo exercício físico e mental, além de dar um fôlego a mais para o trânsito e o ar da sua cidade.

57. O uso de trepadeiras nos muros da sua casa também ajuda a tornar a cidade mais bonita e verdejante, além de evitar as indesejáveis pichações nas paredes.

58. Lembre-se: as áreas verdes da sua cidade pertencem a você. Ocupar esses espaços e zelar por eles é um gesto de cidadania. O verde é importante para a saúde física e mental, ajuda a retirar CO2 da atmosfera e cria a consciência ambiental em cada um de nós.

59. Quem gosta da companhia de animais domésticos em casa pode optar pela adoção, em vez de gastar dinheiro na compra de um no Pet Shop. Essa atitude ajuda a tirar um cão ou gato das ruas, evitando doenças como a raiva.

60. Frequentar praças e parques é mais do que simplesmente relaxar. É também estreitar seus laços com a natureza e ocupar os espaços públicos do seu bairro, da sua cidade. Levar os filhos nesses passeios – a pé ou de bicicleta – é um bom meio de fazer com que eles também comecem a curtir o verde e o lugar onde vivem.

61. Lutar para que a companhia onde você trabalha adote atitudes mais sustentáveis também é uma atitude cidadã. Como fazer isso? Sugerindo que a direção da empresa tome medidas de economia de energia elétrica, água e materiais de consumo, além de cuidar do descarte de resíduos.

62. A quantas reuniões rápidas você já teve de ir depois de enfrentar horas no trânsito para ir e voltar? Às vezes é melhor resolver isso por telefone ou em programas de comunicação on-line de seu próprio computador. Proponha essa ideia se achar que é possível evitar esse vai-e-vem.

63. Quando precisar dos serviços de um portador, optar por bikeboys – em vez de motoboys. Essa escolha contribui para a qualidade do ar que a cidade respira. Além disso, é mais barato.

64. "Plantando uma árvore você colabora para a absorção de até 1 tonelada de CO2 durante a vida e oferece um bom abrigo para os pássaros”, recomenda Xico Graziano, secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

65. A internet e o telefone são bons canais de comunicação com representantes de sua cidade, seu estado ou país. Esse tipo de mobilização permite que seus interesses e os da comunidade sejam atendidos.

66. Convencer pessoas céticas de que as atitudes aqui sugeridas podem ajudar a mudar o mundo para melhor é um exercício árduo, mas com certeza pode resultar em mudanças de comportamento suaves, mas importantes na direção da sustentabilidade.

67. Vizinhança Sustentável – Estimular a construção de rampas para facilitar o acesso de quem tem dificuldades de locomoção, como também de sinalização especial para cegos, é um ato de cidadania e de respeito às diferenças.

Consumo

Consumidor consciente é o que equilibra a sua satisfação pessoal com a sustentabilidade do planeta, ou seja, não compra mais do que precisa

68. Preferir produtos de limpeza naturais é uma boa alternativa para evitar tantas substâncias químicas que levamos para casa. Você costuma usá-los? Para saber mais, pesquise aqui, no site, algumas receitas fáceis para preparar detergentes, perfumes, desinfetantes e até mata-pulgas naturais.

69. "Ao fazer compras, prefira levar sua própria sacola de pano ou plástico durável", aconselha o presidente do Instituto Ethos, Ricardo Young. Com esse gesto simples, contribuímos para acabar com a farra das sacolinhas plásticas, que entopem cada vez mais os lixões das grandes cidades, além de poluir rios e oceanos.

70. Andar sempre com uma garrafinha descartável de água tornou-se um hábito saudável. Você é adepto? Se sim, o melhor seria se adotasse garrafas duráveis, como os squeezes. Assim eles voltam para casa e você ajuda a preservar o meio ambiente.

71. Evitar a troca do celular por puro impulso é saudável. Se não resistir à tentação ou se realmente for necessário substituir o modelo antigo, pelo menos insista para que o revendedor fique com o modelo antigo para ser reciclado. Mas – claro! – certifique-se de que o destino dos celulares recolhidos não será o aterro.

72. Dar preferência ao consumo de produtos locais e da estação faz a diferença. Eles não precisam ser transportados de longa distância e, por isso, a emissão de carbono e de poluição é mínima. A última moda nos melhores restaurantes da Itália é o “cardápio 0 km”. Lá eles servem apenas pratos feitos com ingredientes provenientes de produtores da vizinhança.

73. Chá de saquinho pode ser substituído pelo chá coado na peneira. Menos lixo vai para o lixo se os restos da erva, e até o pó de café usado, forem despejados na terra das suas plantinhas como fertilizante caseiro.

74. Adquirindo produtos de boa qualidade, duráveis e realmente úteis ajudamos a diminuir a quantidade de quinquilharias que viram sucata em pouco tempo.

75. Carro requer manutenção, não tem jeito. Por isso é recomendável fazer uma regulagem periódica, sempre que possível, assim como trocar o óleo nos prazos indicados pelo fabricante e verificar filtros de óleo e de ar. Todas essas medidas economizam combustível e ajudam a despejar menos CO2 no ar.

76. Na hora das compras lembre-se de que tudo o que está nas prateleiras das lojas teve um gasto de energia elétrica e de recursos naturais para ser produzido, inclusive as embalagens. Escolher produtos com menos embalagens é sempre uma boa idéia.

77. Não é nada complicado levar o campo para dentro de casa em plena cidade grande: basta manter uma pequena horta em vasos ou mesmo num cantinho do quintal. Além da higiene mental, você colherá ervas, condimentos e hortaliças frescas diretamente da terra.

78. Levar uma sacola de pano ou de plástico durável na bolsa, na mochila ou no porta-luvas do carro evita o uso de sacolinhas plásticas descartáveis nas compras.

79. Bandejas de isopor e papel filme que embalam frutas, carnes e frios são a dupla de modernidade que está invadindo os aterros sanitários. Os dois estarão no lixo poucos minutos depois que chegar a sua casa. É interessante questionar com o gerente do supermercado se é mesmo necessário usá-los nas prateleiras.

80. Preferir madeira de reflorestamento ou certificada para qualquer uso em carpintaria de sua casa é ambientalmente correto e também mais saudável do que os aglomerados, que contêm substâncias químicas como o formaldeído, cancerígeno.

81. Não esquecer pilhas e baterias dentro dos aparelhos eletrônicos por muito tempo sem uso evita o vazamento de substâncias químicas nocivas à saúde e ao meio ambiente.

82. Antes de comprar um carro, refletir sobre o tamanho ideal para suas necessidades é muito importante. Você já fez isso? Veículos maiores consomem e poluem mais; já os modelos do tipo flex fuel estão adequados às normas de proteção ao meio ambiente. E lembre-se: prefira abastecer com etanol.

83. É inestimável o poder do consumidor. Entrar em contato com a empresa que fabricou algo que você consumiu e não agradou faz com que ela repense métodos de produção mais eficientes e sustentáveis.

84. Passar pelo menos um dia por semana sem entrar em uma loja é um bom começo de aprendizado para abolir o vício das compras compulsivas. Se entrar, ao menos recuse as sacolas plásticas e embalagens em excesso.

85. Prestar atenção ao que está escrito nas embalagens faz com que a gente fique sabendo o que realmente está levando pra casa. Mas é preciso ter cuidado com aquelas letrinhas minúsculas. Em geral, elas estão dizendo coisas que deveríamos saber, mas que a empresa não quer que a gente saiba.

86. Cerca de 85% da madeira retirada da floresta é consumida no Brasil, especialmente nas regiões sul e sudeste do país. Por isso, verificar a procedência de todo e qualquer produto feito de madeira é uma forma poderosa de interromper o círculo vicioso do desmatamento indiscriminado. Produtos com selos de certificação FSC facilitam a escolha por itens socioambiental.

87. Ir ao mercado com o estômago cheio evita compras desnecessárias de alimentos. Não, não é superstição, muito menos simpatia. Já está provado que com fome somos impulsionados a colocar na cesta comida a mais do que iremos consumir durante a semana.

88. Fugir de produtos fabricados por empresas com referências suspeitas é também evitar o incentivo a itens de qualidade duvidosa, sem nenhuma garantia e produzidos à custa de trabalho socialmente injusto e mal remunerado.

89. No escritório, uma boa opção é utilizar o papel ecoeficiente ou o reciclado. A produção do ecoeficiente usa os recursos da natureza de maneira racional. Tem como matéria-prima o eucalipto plantado para essa finalidade e colhido após sete anos. Para ficar com a aparência que todos conhecem, enfrenta processo de branqueamento. O papel ecoeficiente é feito de fibra de árvores manejadas de forma sustentável, evitando o impacto negativo no meio ambiente.

90. Também no escritório é recomendável substituir o uso de copinhos descartáveis por copos duráveis e canecas para tomar café e água.

91. É possível educar as crianças na direção da sustentabilidade, dando a eles pequenas tarefas domésticas a favor da causa, como ficar de olho nas luzes acesas sem necessidade e no desperdício de água, ou separar material para reciclagem.

92. CDs e DVDs já não são a opção mais sustentável para armazenar informação, músicas e videos. Atualmente, aparelhinhos minúsculos, mas com imensa capacidade de armazenamento – os pen drives –, fazem essa tarefa com a vantagem de que são infinitamente reutilizáveis.

93. No Brasil, R$ 12 bilhões em alimentos são descartados todos os anos. É o dinheiro que basta para alimentar 8 milhões de famílias. O desperdício é maior do que o de países ricos como Alemanha e Suécia. Será que precisamos mesmo jogar tanta comida no lixo? E você? Desperdiça muito?

94. Você já ouviu falar dos 3 Erres?
Reduzir: Diminuir o consumo para reduzir a quantidade de resíduos produzidos;
Reutilizar: Fazer uso dos produtos até o limite máximo de sua vida útil, reutilizar o que puder – embalagens, por exemplo – consertar em vez de descartar e doar que já não for útil para você;
Reciclar: Separando restos de comida e resíduos molhados das embalagens de plástico, metal e papel que podem ser reutilizadas novam

95. Esta dica é bem conhecida, mas não custa relembrar: imprima somente o que for necessário e procure aproveitar os dois lados da folha de papel.

96. Trinta e nove mil toneladas de alimentos são jogadas fora diariamente no Brasil, o que corresponde a 30% da produção nacional. Para evitar tamanho desperdício, compre de acordo com seu consumo semanal ou diário e coloque no prato apenas o que for comer.

97. A emissão de gases pela combustão dos veículos é uma das principais causadoras da poluição e agrava o aquecimento global. Minimizar o problema, além de diminuir consideravelmente o consumo de combustível é fácil: basta pisar no acelerador suavemente até alcançar a velocidade desejada, rodando em marcha alta, mas evitando chegar à velocidade máxima.

98. Vizinhança Sustentável – É possível trazer um pouco do campo para perto de casa criando herbários e pomares para uso comum dos moradores. É mais saudável e econômico.

Reciclagem

Um terço do lixo doméstico brasileiro é composto por embalagens que poderiam ser recicladas

99. Poucos sabem, mas reciclar pneus é lei no Brasil. No país já existem muitas empresas recicladoras credenciadas para recolher pneus velhos. Com a borracha deles são produzidos asfalto, isolantes acústicos, enchimento para bancos de carros e pisos sintéticos. Até o aço encontrado em seu interior é reaproveitado.

100. Fraldas descartáveis são produzidas com plásticos, géis, além de inúmeros outros produtos industrializados e levam mais de 300 anos para se decompor no meio ambiente. Antes de aprender a usar o banheiro direitinho, uma criança utiliza milhares delas. Não é à toa que as fraldas descartáveis são o terceiro item mais encontrado no lixo. O melhor é, pelo menos, buscar moderação em seu consumo, utilizando fraldas de pano quando o bebê estiver em casa.

101. Também é possível viver sem os lenços umedecidos de limpeza, que contém inúmeros produtos químicos que podem até causar alergias nas crianças. Panos de algodão e um pouco de água e sabonete especial cumprem a mesma tarefa, só que com vantagens para a saúde e o meio ambiente.

102. Parar e pensar bem antes de descartar objetos que já não interessam mais permite que você se motive a doá-los a alguma entidade assistencial. Esse material que está apenas ocupando espaço em casa certamente será útil para muita gente.

103. Um dos grandes problemas da poluição dos mananciais vem de um hábito difícil de mudar: jogar o óleo de fritura usado no encanamento. Um litro de óleo pode contaminar até um milhão de litros de água. Melhor é separar o óleo em garrafas PET para doá-lo a ONGs que fazem biodiesel e sabão com ele.

104. Se o produto que você comprou tem esse símbolo na embalagem, ela é reciclável. Cabe a você encontrar uma forma de encaminhá-la para a reciclagem.

105. Já existem no Brasil diversas empresas que comercializam assoalhos de madeira de demolição, inclusive móveis rústicos. Optando por esses produtos você está embelezando sua casa ou escritório, reciclando madeira de boa qualidade e gastando menos.

106. Restos de alimento que você despeja na lixeira são bons fertilizantes orgânicos. Espalhar casca de ovo, de fruta e de legume, pó de café, saquinho de chá e pão velho nos vasos ajuda a deixar as plantas mais fortes e bonitas.

107. Minhocário é um recipiente onde as minhocas se alimentam de material orgânico como restos de comida e o transformam em adubo orgânico caseiro que pode ser usado para manter uma horta e dar mais saúde às plantas. É também sinônimo de redução na quantidade de sacos de lixo na porta da sua casa e nos aterros sanitários.

108. Produtos com refil à disposição no mercado não resolvem o problema dos resíduos por completo, mas pelo menos ajuda a minimizá-los.

109. Comprar num brechó é praticar a reciclagem. É uma boa oportunidade de adquirir roupas e outros objetos em bom estado de conservação por preços mais em conta

110. Aquela calça velha, azul e desbotada que está guardada há tanto tempo no armário pode ser renovada se você mesmo customizá-la com apliques e bordados ou se você a cortar como bermuda. Se nada disso for do seu interesse, pelo menos doe o jeans para quem precisa.

111. Revistas e jornais velhos podem ser doados para a escola de seus filhos sem constrangimento. Ou mesmo para as escolas e creches instaladas em seu bairro. Com elas, os professores fazem trabalhos artísticos e de colagem com os alunos.

112. Tênis e sapatos velhos com solado de borracha também podem (e devem) ser reciclados. Eles são excelentes matérias-primas na construção de quadras esportivas, por exemplo.

113. Não jogar pilhas e baterias de celular velhas no lixo evita que suas substâncias tóxicas contaminem o solo e os lençóis freáticos. Basta separá-los e procurar um posto de coleta perto de casa. O uso de pilhas recarregáveis também ajuda a diminuir esse lixo tóxico.

114. Na hora de jogar o lixo no lixo, amassar todas as embalagens recicláveis facilita o trabalho dos catadores e recicladores. Retirar o excesso de resíduos também ajuda bastante.

115. Recolher o cocô do cachorro com saquinhos e depois largá-los num canto da calçada não resolve o problema. Mais correto é depositá-los na lata de lixo. Você pode recolhê-los ainda com páginas do jornal que você já leu e descartou.

116. A rua não foi feita para jogar lixo, mesmo que seja uma ponta de cigarro. Resíduos despejados no chão vão parar nas “bocas de lobo”, podem entupir a rede de esgotos e causar enchentes. Se chegarem aos córregos, rios e mananciais farão um grande estrago, poluindo as águas.

117. Colocar os sacos de lixo na porta de casa apenas momentos antes do caminhão de coleta passar evita que os dejetos se esparramem pela calçada durante o dia.

118. O Brasil recicla 96% das latinhas de alumínio. Com isso, é possível evitar a extração de bauxita, economizar energia elétrica e evitar a emissão de quantidades de gás carbônico na atmosfera.

119. Estas informações não são descartáveis. Você pode “reciclá-las” enviando o link deste Manual para os amigos (os inimigos também!), parentes, alunos, vizinhos e também outros políticos.

120. Vizinhança Sustentável – Em várias comunidades a implantação da coleta seletiva de lixo já é um sucesso. Muitas também estão recolhendo o óleo de cozinha usado entre os vizinhos para fazer sabão de uso comum.

Fonte: Planeta Sustentável