Discursos

08/08/2013

30/06 – 15 anos do Plano Real

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) - Sr. Presidente, Srs. parlamentares, amigos da TV Câmara, líder Police Neto, queria neste final de primeiro semestre da nossa legislatura trazer um tema importante para considerarmos e refletirmos. São os 15 anos, que completamos este ano, do Plano Real. O plano que mudou a vida dos brasileiros de fato e mudou a história do Brasil.
A história que se constrói a partir da implantação do plano, no final do Governo Itamar Franco, ao longo dos oito anos do Governo Fernando Henrique e mais, recentemente, com o Governo Lula. Digo isso porque fui Secretário Nacional do Programa Bolsa-Escola Federal, primeiro grande programa de transferência de renda no Brasil. Sabemos da importância que esse programa teve também na redução das desigualdades no país, especialmente, na segunda metade dos anos 90.
Sabemos também,que os programas de transferência de renda não podem ser vistos como panaceia para a solução da pobreza no Brasil. E naquela época, tínhamos uma situação mais complicada, do ponto de vista da penalização que a economia trazia sobre os mais pobres, a inflação que corroia os salários dos trabalhadores brasileiros, que tinham de gastar rapidamente seus recursos, porque sabiam que os preços evoluiriam e o poder de compra reduziria.
Mas o real veio. E veio para ficar, para mudar conceitos na vida do cidadão. Dar valor real aos produtos, aos serviços. A possibilidade de comparar os serviços públicos e privados. A oferta, o valor, isso é muito importante. Fez também com que o Brasil tivesse que assumir os chamados esqueletos. Tivesse de assumir as suas responsabilidades com dívidas, construídas ao longo dos anos, por muitos governos, estaduais e municipais, que deixaram a verdadeira herança maldita: uma série de dívidas, de dinheiro público mal utilizado.
O Plano Real assumiu o passivo da história do Brasil, principalmente da história econômica, recolocou no devido lugar cada uma dessas dívidas. Deu transparência à política econômica, fixou metas inflacionárias e uma política livre cambial, o que trouxe maior estabilidade de preços, especialmente numa economia cada vez mais globalizada. A flutuação do cambio foi algo absolutamente necessário no início do 2º mandato do Presidente Fernando Henrique. E todas essas mudanças que permitiram, ao longo de oito anos, que o Brasil entrasse numa estabilidade real, ainda que passássemos por momentos de profundas crises econômicas.
Recentemente, tivemos uma crise profunda, talvez uma das mais graves. Mas o Brasil já tinha passado, pelo menos, por cinco outras grandes crises internacionais. Ataques especulativos, ataques à moeda, ao real. As chamadas viúvas da inflação, aqueles que querem sempre um aumento de salário, especialmente os mais corporativos, as grandes corporações brasileiras, sejam públicas ou privadas; na área pública, a educação, parte do funcionalismo da saúde e assim por diante. Na área privada também. Trabalhar todos os temas com coerência, com coragem foi o que fez com que o Real pudesse chegar, este ano, aos 15 anos sendo comemorado com uma política que veio para ficar no Brasil e que permitiu todos os avanços econômicos, especialmente do atual Governo Lula, que se deu graças aos fundamentos, à coragem, ao rumo determinado pelo Presidente Fernando Henrique Cardoso. Comemoramos os 15 anos desse alicerce para que o Brasil pudesse ser construído na modernidade e com compromisso de desenvolvimento social.
Muito obrigado. Parabéns ao Brasil. Parabéns ao Plano Real.