Noticias

21/03/2011

Floriano e Instituto Olga Kos celebram Dia Internacional da Síndrome de Down

“É importante mostrar que as pessoas com deficiência trabalham, têm potenciais e defeitos como todos nós. É incrível como ainda há muito preconceito e ignorância nessa área. Aliás, preconceito e ignorância andam sempre de mãos dadas quando o assunto é a inclusão dessas pessoas”, ressaltou o vereador Floriano Pesaro, durante cerimônia nesta segunda (21/03) para celebrar o Dia Internacional da Síndrome de Down. O evento foi promovido por Floriano em parceria com o Instituto Olga Kos, na Câmara Municipal.

Fundado em 2007, o Instituto Olga Kos desenvolve projetos unindo arte e inclusão social a fim de emancipar o desenvolvimento humano e ampliar horizontes das pessoas com deficiência. Atende mais de 480 crianças, jovens e adultos com Síndrome de Down e/ou deficiência intelectual. O Instituto promove a inclusão cultural dessas pessoas, atuando nas áreas da arte, cultura e esporte, além de outras ações, sobretudo inclusão no mercado de trabalho dos atendidos.

“Precisamos quebrar paradigmas e orientar o poder público quanto às melhores ações para promover a inclusão das pessoas com Down”, afirmou o presidente do Instituto Olga Kos, Wolf Kos Trambuch.

“As pessoas com deficiência vivem melhor com acesso ao ensino regular, à prática de esportes, ao trabalho, às ações culturais. A inclusão tem sido conquistada degrau por degrau, tem altos e baixos, surpresas positivas, decepções, novas conquistas. Assim é a vida. A inclusão só está sendo construída diariamente graças aos que não se negam a acreditar e a arriscar. Graças aos que dispensam porta-vozes e acreditam que alguém com Síndrome de Down pode ir à luta, sim, e construir sua própria realidade”, afirmou Floriano, autor da Lei Nº 15.034, que instituiu na cidade o Dia Municipal da Luta pela Educação Inclusiva.

Para Fernanda Jimenez, funcionária do gabinete do vereador Floriano e atriz do grupo de teatro da ADID (Associação para o Desenvolvimento Integral do Down), o teatro é “um grande aprendizado” em sua vida. "Ele nos faz aprender a ser diferente e a lidar com as diferenças. Pra mim, ser diferente é normal", disse.

Para comemorar o Dia Municipal de Luta pela Educação Inclusiva (14 de abril), Floriano está organizado um grande seminário para debater a questão da educação inclusiva, no dia 17 de abril, na Reatec, no Pavilhão Imigrantes.

Veja fotos do evento.