Noticias

15/03/2011

Prefeito Gilberto Kassab na abertura da exposição “Holocausto Nunca Mais”

“Ao final da 2ª Guerra Mundial, ao ser libertado do campo de concentração, saí de lá alquebrado, esfarrapado, mas com uma certeza: de que, se sobrevivesse, mostraria para o mundo, até o final de minha vida, a barbaridade que havia acontecido ali”. Essas foram as palavras do presidente da Sherit Hapleitá e sobrevivente do Holocausto, Ben Abraham, em seu discurso na abertura da exposição “Holocausto Nunca Mais”, na Prefeitura de São Paulo.

O evento de abertura aconteceu nesta segunda-feira, 14 de março, com a presença do prefeito Gilberto Kassab, dos representantes do American Jewish Comittee (AJC), em visita ao Brasil, e de diversas lideranças da comunidade judaica que se juntaram ao público presente.

A idéia de trazer a exposição “Holocausto Nunca Mais” para o saguão da Prefeitura foi uma iniciativa do vereador Floriano Pesaro (PSDB), em parceria com a Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp) e com a Sherit Hapleitá do Brasil, e tem como objetivo estimular a educação e tolerância.

A exposição “Holocausto Nunca Mais”, que circula o país há 40 anos, é composta por 52 painéis com fotos, textos e documentos que retratam os campos de concentração nazistas durante a 2ª Guerra Mundial. Ela teve espaço duas vezes no Congresso Nacional e foi exposta também no Centro Cultural de São Paulo. Já foi vista por cerca de 2 milhões de pessoas. Ainda este ano, em abril, está programada para ser exibida na Assembléia Legislativa de São Paulo.

“A cidade de São Paulo é referência e exemplo para todo o mundo. Aqui convivem fraternalmente membros das comunidades japonesa, libanesa, italiana, judaica e portuguesa, entre outros, todos ajudando a fazer do Brasil um grande país. Que a história do sobrevivente Ben Abraham sirva de referência a outros povos e nações do mundo para que aprendam com o passado e não permitam que atrocidades como essa jamais aconteçam novamente”, declarou o prefeito Gilberto Kassab.

“O prefeito Kassab está tornando esta cidade mais judaica. Hoje, reforço meu compromisso institucional e pessoal em levar adiante a memória do Holocausto e reforço o pedido para que este tema seja incluído no currículo de todas as escolas públicas de São Paulo”, frisou o presidente da Fisesp, Boris Ber.

“A memória é parte integrante da identidade do povo judeu e elemento fundamental de sua continuidade. A memória é o que pode salvar a humanidade. Esta exposição, na sede do Executivo municipal, localizado no coração de São Paulo, tem esse papel: de alertar e de não deixar esquecer”, ressaltou Floriano, autor da Lei 15.059, que instituiu no calendário oficial da cidade o dia 27 de janeiro como o Dia em Memória às Vitimas do Holocausto.

SERVIÇO
EXPOSIÇÃO HOLOCAUSTO NUNCA MAIS
DATA: de 14/3 a 1º/4, de 2ª a 6ª, das 8h às 18h.
LOCAL: no saguão da Prefeitura de São Paulo (Viaduto do Chá, s/nº – centro de São Paulo). Entrada franca.

Veja as fotos do evento.