Discursos

25/07/2013

28/08/2012 – Dia Nacional do Voluntariado

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Sr. Presidente, venho à tribuna nesta tarde para falar sobre as comemorações do Dia Nacional do Voluntariado. Antes, porém, gostaria de cumprimentar os meus Colegas, especialmente os da minha bancada, entre os quais destaco o nobre Vereador Claudinho de Souza, o grande Vereador da zona Norte de São Paulo, que nos dá um orgulho tremendo.
Hoje é o dia daqueles que dedicam parte do seu tempo, trabalho e talento, de maneira voluntária, às causas de interesse social e para o bem da comunidade – ou, diria ainda mais, para o bem da humanidade. E eu sou um desses, pois pratico ações voluntárias sempre que posso, de forma frequente e persistente.
Hoje é dia daqueles que, mais do que ajudar, transformam vidas. Por isso, o dia de hoje, mais do que lembrado, deve ser comemorado.
O objetivo principal desta data é chamar a atenção, conscientizar e mobilizar a população para que veja no voluntariado uma forma ativa de ajudar e construir a sociedade que tanto queremos.
Compreendi o verdadeiro valor e força desse tipo de trabalho, quando fui Secretário de Assistência e Desenvolvimento Social de nossa cidade, na gestão do então Prefeito José Serra.
Na implantação de diversos programas, contamos com o apoio daqueles que têm a sensibilidade de perceber que um trabalho voluntário é capaz de agregar, transformar e salvar vidas. E dar sentido à vida não só de quem é ajudado, como também de quem ajuda. Por isso, apesar de hoje ser o Dia Nacional do Voluntariado, é importante destacarmos as ações desses cidadãos exemplares sempre, todos os dias.
Em março deste ano, realizamos, na Câmara Municipal de São Paulo, em parceria com o Vereador Paulo Frange, uma sessão solene em homenagem aos 50 anos do Centro de Valorização da Vida – CVV. Ali ficou claro que todos podem colaborar. Há diversas formas de voluntariado: você pode doar seu tempo, algum recurso ou compartilhar um talento.
Quanto à doação de recursos, mais do que doar esmolas nas ruas de São Paulo, é importante doar para o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente – Fumcad. Ou ainda doar diretamente a uma organização social, filantrópica, sem fins lucrativos, registrada no Conselho Municipal de Assistência Social – Comas.
Enfim, no dia de hoje, em que paramos para repensar e celebrar o voluntariado – e V.Exa., Sr. Presidente, também é um voluntário, sou testemunha do seu trabalho na região onde mais atua -, nada melhor do que pensar como estamos contribuindo para a construção de uma cidade mais justa, igualitária e sustentável.
Aliás, como diria o nosso querido Padre Noé, por tudo que fez na Organização Social Nossa Senhora do Ó, e da qual V.Exa. também faz parte e é um Vereador atuante: “Tenho convicção de que só alcançaremos juntos esse nível de solidariedade, caridade e de forma correta, no lugar certo, se nós, de fato, valorizarmos os que são voluntários. Quando cada um de nós doar o que tem de melhor, teremos, sim, uma sociedade equilibrada, justa e mais humana”.
Sr. Presidente, peço seu deferimento para que este discurso seja encaminhado não só à direção do Centro de Valorização da Vida – CVV, mas também ao Centro de Voluntariado de São Paulo, órgão que estimula também, de forma organizada, o voluntariado dos cidadãos paulistanos.
Muito obrigado e parabéns a todos que dedicam parte do seu tempo, recursos ou talento ao próximo.