Discursos

08/08/2013

22/09 – Dia Mundial Sem Carro

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) - Sr. Presidente, Srs. Vereadores, amigos da TV Câmara, em primeiro lugar agradeço à Vereadora Noemi Nonato, que, gentilmente, cedeu seu tempo para que pudesse falar. Este é um momento exemplar, em que São Paulo, de forma organizada, comemora o Dia Mundial Sem Carro. Eu, por exemplo, vim para a Câmara de ônibus. Sei que o nobre Vereador Chico Macena também.

É um dia simbólico porque, evidentemente, para a grande maioria da população paulistana, todo o dia é o Dia Mundial Sem Carro. Mas queremos mostrar, de forma simbólica, às pessoas, que é possível uma forma alternativa ao automóvel e que precisa se transformar em realidade a partir de uma nova reeducação das pessoas.

Hoje, pela manhã, peguei um ônibus na Avenida Santo Amaro, próximo a minha casa, que saiu do Terminal Varginha e chegou ao Terminal Bandeira, utilizando a Avenida Santo Amaro, a Avenida Nove de Julho e chegando ao Terminal Bandeira. O ônibus estava cheio e foi esvaziando ao longo do percurso e pude chegar sentado ao Terminal Bandeira. Isso para mostrar que essa deve ser mais do que uma campanha, deve ser uma mudança de costume, de padrão de comportamento.

Falei há pouco das minhas emendas e da emenda da nobre Vereadora Juliana Cardoso. As minhas emendas foram a respeito de ciclovias, porque acredito que é possível, na cidade de São Paulo, mudar o comportamento. A bicicleta não deixa de ser um meio de transporte e precisa ser valorizada. Por isso é importante os Vereadores darem prioridade as suas ações a partir do recurso que está disponível na forma de emendas.

As ações de hoje foram organizadas por um grande coletivo proposto pelo Movimento Nossa São Paulo. Acredito que este seja o segundo ano em que fazemos o Dia Mundial Sem Carro. Este evento foi formado por dezenas de Organizações Não Governamentais, centenas de pessoas engajadas e todos os municípios da Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis a qual faço uma homenagem.

Os dados da cidade de São Paulo são impressionantes. Estamos falando de uma frota de 6 milhões e 500 mil veículos dentre carros, motos, vans, utilitários, caminhões, ônibus e outros. A frota do Estado é de mais de 19 milhões e meio de veículos. Para se ter uma ideia, de julho de 2008 a julho de 2009, a frota sofreu um acréscimo de 1 milhão e 200 mil unidades.
Considerando o crescimento médio da frota nos últimos 17 anos, em torno de 110 mil unidades, a estimativa é que o Estado tenha 19 milhões de veículos e ultrapasse a marca de 20 milhões até dezembro.

Concedo aparte ao nobre Vereador Chico Macena.

O Sr. Chico Macena (PT) – Obrigado, nobre Vereador Floriano.
Gostaria de cumprimentar V.Exa. pelo pronunciamento a respeito do Dia Mundial Sem Carro e dizer que concordo plenamente com o seu pronunciamento. Vejam que aqui podemos chegar a um consenso.

Só lamento uma coisa, nobre Vereador, a Prefeitura de São Paulo não aderiu oficialmente a esse dia, tanto é que as entidades internacionais não consideram São Paulo como oficialmente participante do Dia Mundial Sem Carro, não desenvolveu nenhuma iniciativa, seja de campanha ou ação concreta, para desenvolver a consciência nas pessoas da importância desse dia.

Rio de Janeiro e outras cidades brasileiras tomaram medidas. E o que aconteceu na cidade de São Paulo, em 2007, quando houve adesão da Prefeitura, inclusive com atividades alternativas no centro da cidade para quem deixasse o carro em casa, não aconteceu este ano. Mas o ano passado foi num sábado e este ano foi no dia da semana. Considero que a Prefeitura foi tímida, senão omissa nessa iniciativa.

Gostaria de fazer um apelo a V.Exa. que é do governo para que pudéssemos fazer um esforço para que, no ano que vem, São Paulo, oficialmente, não as entidades apenas, mas a cidade de São Paulo, através da ação do seu Prefeito, oficialmente participasse do Dia Mundial Sem Carro.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Agradeço o aparte do Vereador Chico Macena e digo que sou do PSDB, sou Vereador de São Paulo e elogio e critico o Governo de acordo com o interesse público que verifico na sociedade paulistana.

A despeito de a Prefeitura não ter aderido, o que lamento, o Prefeito Gilberto Kassab aderiu assim como eu e V.Exa., que demos o exemplo hoje vindo trabalhar de transporte coletivo. Não faço isso com demagogia, pego ônibus todas as quintas-feiras, pois é o rodízio do carro oficial da Câmara Municipal e, como não usamos placa preta e sim a comum, temos rodízio como todos os demais paulistanos, portanto, deixo meu carro em casa e venho de ônibus para cá.

É importante o contato com a população. Hoje vindo de transporte coletivo pela manhã conversei com algumas pessoas e me apresentei como Vereador. Não preciso dizer da surpresa geral, mas foi interessante perceber o que acontece com esta população que leva de duas a duas horas e meia, vindo de Varginha, a terra do Vereador Alfredinho, para cá e as dificuldades que enfrenta no dia a dia. Mas não há somente dificuldades, há também sugestões que a população tem a dar a nós legisladores de São Paulo e também ao Poder Público Executivo.

Concedo um aparte ao nobre Vereador Jamil Murad.

O Sr. Jamil Murad (PC do B) – Agradeço o aparte Vereador Floriano, mas infelizmente, não posso concordar com V.Exa. porque o “dia sem carro” deveria oferecer alternativa para o transporte, para as pessoas poderem ir ao serviço ou à escola, mas não é isso que acontece. O número de pessoas que precisam se deslocar é muito superior à possibilidade do que é possível transportar quando há a substituição ao carro. Já existe uma superlotação, são nove passageiros por cada metro quadrado no metrô. O partido de V.Exa. já governa o Estado de São Paulo, responsável pelo metrô de São Paulo, há mais de 16 anos.

O que acontece? Construíram menos de um quilômetro de metrô por ano. Por isso não há alternativa. Falar que as pessoas poderiam ir de bicicleta? Vão morrer, ser atropelados? Não posso concordar com V.Exa., infelizmente, gostaria de constatar outra coisa, mas o Dia Mundial Sem Carro, em São Paulo, é uma denúncia contra a falta de atitude em oferecer alternativas de transporte.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Realmente, Vereador Jamil Murad, temos hoje nas diversas estações de metrô bicicletários onde as pessoas podem chegar às estações de bicicleta, deixá-las e usar o metrô. Quem usa o transporte coletivo em São Paulo sabe que tem deficiências, mas também sabe que está melhorando. A maior parte das reclamações sobre o transporte coletivo em São Paulo é de quem não usa. Isso nos impressiona.

O que está sendo feito pelo Governo do PSDB na cidade de São Paulo, a construção de três linhas simultaneamente de metrô, é inédito. Não adianta vir com esta repetição de que estamos há vinte anos no Governo. Fizemos muita coisa. Expandimos as linhas verde e azul do metrô; trocamos os trens da CPTM; fizemos toda a linha de Jurubatuba nova que chega ao Grajaú e vai chegar em Parelheiros; fizemos o Rodoanel, que tem como prioridade tirar os caminhões do centro de São Paulo e aliviar as Marginais.

Portanto, o que está sendo feito com o transporte metropolitano em São Paulo é algo imenso. O transporte sobre trilho, esse é o “mantra” do Governador José Serra, mas o que quero dizer hoje é chamar a atenção para a importância de se buscar um transporte alternativo ao automóvel, e ele existe, as pessoas precisam experimentar, testar.
Concedo um aparte ao nobre Vereador Natalini.

O Sr. Natalini (PSDB) – Obrigado, nobre Vereador Floriano Pesaro, com o objetivo de enriquecer o debate que está sendo realizado, em alto nível, sobre a questão do Dia Sem Carro, digo que as informações que temos são verdadeiras, fornecidas pelo Sr. Secretário Portela. Até o ano de 2012, o Governo do Estado deverá aplicar 21 bilhões de reais em transportes sobre trilhos. Com o início da obra do metrô de Santo Amaro, do metrô da Freguesia do Ó, com o prolongamento, como o senhor já disse, da Linha Verde, com o projeto até a Penha.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – A inauguração da Linha Amarela.

O Sr. Natalini (PSDB) – A inauguração da Linha Amarela, que todos esperam. Digo, ainda, ao nobre Vereador Jamil Murad e aos demais Vereadores, que houve um investimento muito grande em transporte de trens, por exemplo, com a recuperação da linha de trem da CPTM de Santo Amaro, não sei se o senhor já andou no trem que vai do Grajaú até Osasco, passando por toda beira do Rio Pinheiros, é um trem de estilo europeu.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Grajaú, Presidente Altino, Osasco.

O Sr. Natalini (PSDB) – A linha do CPTM que passa por Guaianases, aquele expresso que tem na região leste, e agora os investimentos que estão sendo feitos na Linha F, de trem, que segue por São Miguel Paulista, várias estações estão sendo construídas, reformadas.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – O Fura-Fila, o Expresso Tiradentes que ficou parado durante a gestão da Prefeita Marta Suplicy, que foi inaugurado agora, Sacomã-Vila Prudente.

O Sr. Natalini (PSDB) – Terminou aquela obra e, para terminar, gostaria de lembrar a questão da maior compra de trens dos últimos 50 anos. São 110 trens, não há fábrica no mundo para dar conta das encomendas da cidade, do estado de São Paulo. São 110 trens novos comprados em vários países do mundo, porque nenhum país, nenhuma fábrica tem condições de fazer a entrega. O dinheiro está sendo aplicado, só não vê quem não quiser.
Muito obrigado.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Concedo aparte à nobre Vereadora Juliana Cardoso.

A Sra. Juliana Cardoso (PT) - Obrigada pelo aparte. Parabenizo pelo debate no dia de hoje, o Dia Mundial Sem Carro, mesmo porque tanto o senhor quanto o nobre Vereador Chico Macena adotaram a proposta e, assim como eu, vim de metrô e ônibus à Câmara.

É importante debatermos, porém gostaria de lembrar que as pessoas hoje não aderiram mais porque o transporte da cidade de São Paulo está péssimo. Os ônibus, como o senhor pode ver no dia de hoje, quantos ônibus velhos vieram para a frota. O metrô que estão vangloriando tanto, o Governo faz um quilômetro por ano. Há quanto tempo os senhores estão no Governo? Devem ser melhorados tanto o metrô, quanto o ônibus, os trens, mas ainda o que está sendo feito é muito tímido, a cidade precisa mais.

Se não fosse tímido os horários de pico não estariam tão cheios como estão hoje em dia.
Muito obrigada.

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Acredito que seja verdade a parte da dificuldade que seja a expansão do transporte público no Brasil ao longo dos anos, em todas as cidades, não só em São Paulo. A falta de dinheiro, especialmente dinheiro federal.

Mas digo que não há nada pior nos horários de pico do que os congestionamentos que São Paulo tem. Se hoje a população tivesse a possibilidade de experimentar, deixar o carro em casa, vir a pé, de bicicleta, de ônibus, de metrô, utilizar o transporte público na cidade, teria sentido que é possível fazer diferente do que se faz no dia-a-dia da cidade.

É possível, sim, por meio de caronas solidárias, do próprio transporte público diminuir o número de automóveis nas ruas

Isso não só melhoraria a poluição, parte da estratégia do Dia Mundial Sem Carro, como também o fluxo para aqueles que utilizam o transporte coletivo, especialmente o ônibus. Esse é o motivo do meu discurso e que, no próximo ano, possamos aderir ao 22 de setembro como o Dia Mundial Sem Carro.
Muito obrigado.