Noticias

08/05/2012

Audiência na Câmara questiona a doação, por quase 100 anos, de um terreno público ao Instituto Lula


Imagine o que é possível fazer num terreno de 4.400 m² (equivalente a meio campo de futebol) no centro da cidade, precisamente na região da Nova Luz, que passa por processo de revitalização? A área, estimada em R$ 20 milhões, poderia abrigar de prédios populares a centros culturais e educacionais, clínicas de reabilitação e uma infinidade de equipamentos de interesse coletivo. A Prefeitura tem oportunidade de construir, nesse terreno, um projeto público grandioso, destinado a toda a população de São Paulo.

Entretanto, o projeto de Lei 29/2012, do Poder Executivo, autoriza a concessão dessa área pública, sem concorrência, por 99 anos, ao Instituto Lula, que ficaria responsável por levantar e administrar ali o Memorial da Democracia.

O vereador Floriano Pesaro não concorda com a cessão desse terreno a uma entidade privada. E convoca os cidadãos a participarem de uma Audiência Pública marcada para dia 10 de maio, quinta-feira, na Câmara dos Vereadores. A ideia é rediscutir esse projeto de lei que , na prática, é um equívoco técnico e político sem precedentes. Não é uma questão partidária.
Mas, a maioria dos cidadãos deve concordar que a história democrática do Brasil não deve ser recontada ou festejada sob a ótica unilateral de um só partido. “Ninguém aqui é contra o Lula. Temos respeito pelo que ele representa e pelo que fez pelo Brasil. Mas um instituto privado e administrado por uma única legenda não é legítimo. Está correto um só partido ser o guardião da memória coletiva do processo democrático do país? Não me parece”, refletiu o vereador, em discurso no Plenário da Câmara. Veja a íntegra no vídeo.

Na opinião do sociólogo e parlamentar, um instituto como esse é bom para São Paulo e para o Brasil, mas deve ser administrado por uma equipe técnica qualificada e, obviamente, apartidária, que trabalhe somente pelo interesse comum. Afinal, o Instituto Lula, como tantos
outros semelhantes, não deve transparência nem satisfação aos cidadãos.

Leia aqui o artigo de Floriano Pesaro sobre esse tema, publicado no jornal Folha de S.Paulo.
Compartilhe, participe, manifeste-se. Se São Paulo não for para todos não será para ninguém.
Assine o abaixo-assinado Contra a doação de terreno ao Instituto Lula, aqui.
Saiba mais: http://www.nasruas.net/2012/04/terreno-que-esta-indo-para-o-instituto.html
Ao falar do assunto nas redes, use: #memorialdademocracia

Audiência pública sobre PL 29/2012
Quando: Dia 10 de maio, quinta-feira, das 10h às 12h
Onde: Câmara dos Vereadores – Palácio Anchieta – Viad. Jacareí, 100 – centro – São Paulo / SP