Discursos

06/08/2013

17/11/2010 – Logística reversa

O SR. FLORIANO PESARO (PSDB) – Sr. Presidente, Sras. Vereadoras, Srs. Vereadores, telespectadores da TV Câmara São Paulo, parabenizo a V.Exa. e a Mesa Diretora desta Casa, pelo novo portal. Tenho acompanhado por meio do Twitter, Facebook e de várias redes sociais das quais participo, e constato várias críticas que são absolutamente injustas em relação ao portal da Câmara de São Paulo.

Posso afirmar a todos que o portal da Câmara de São Paulo é muito melhor, muito superior aos portais de vários outros poderes legislativos brasileiros. Faço uma pesquisa constante. Estou sempre observando o Congresso Nacional, a Câmara e o Senado, e o nosso portal ficou muito bom. E a construção do portal ainda não terminou, informa o nobre Vereador Dalton Silvano, que tem coordenado esse trabalho.

Então, mais uma vez, publicamente felicito o nobre Vereador Dalton Silvano e a Mesa Diretora pela ação de transparência. Transparência que é necessária a fim de aproximar a população deste Parlamento, possibilitando que ela entenda e compreenda melhor o nosso trabalho, participando mais ativamente.

Segundo ponto que tratarei hoje, refere-se ao nosso trabalho junto à Comissão Extraordinária do Meio Ambiente, da qual tenho a honra de presidir. Nessa Comissão, estamos discutindo, neste momento, a política nacional de resíduos sólidos na cidade de São Paulo. Ou seja, o que vamos fazer com o nosso lixo, com os nossos resíduos a partir da política nacional. E podemos observar que estamos distantes daquilo que preconiza a legislação federal. Temos de cuidar do nosso lixo seco, orgânico e, como cidadãos e Poder Público, compreender que hoje já é possível reciclar 100% dos resíduos sólidos que produzimos, seja de vidro, pet, tetra pak, enfim, tudo aquilo que é produzido e chamado de lixo seco é passível de reciclagem, nobre Vereador Natalini, V.Exa. que também é um militante nessa área. Peço a ajuda dos nobres pares, para que possamos aprofundar este debate.

Hoje, o jornal O Estado de São Paulo trouxe grande matéria mostrando que as empresas, na cidade de São Paulo, não vão ficar esperando que o Poder Público se mexa nessa área de reciclagem. E já estão dando exemplos, não só com relação ao lixo eletrônico, baterias de celulares, o próprio aparelho, refrigeradores e outras coisas do gênero. Aliás, esta Casa tem sete projetos de lei que tratam sobre lixo eletrônico, estão com o Vereador Ítalo Cardoso e esperamos em breve poder apresentá-los à Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa, para aprovar um único projeto, subscrito por todos os Vereadores, em relação ao lixo eletrônico.

De fato, a cidade vem avançando, várias lojas e empresas estão se adaptando à nova legislação, pensando nesta cadeia reversa, ou seja, todo o esforço em cadeia que é feito para vender um determinado produto, tem de ser feito também para trazer o resíduo desse produto de volta para a reciclagem. É isso que estamos iniciando na cidade de São Paulo, buscando em cada uma das áreas e sistemas econômicos uma cadeia reversa, que possa trazer de volta os resíduos gerados por aquele consumo. E que nós, cidadãos paulistanos, possamos ter também um consumo cada vez mais consciente e mais responsável na geração desses resíduos.

Eram essas as palavras, Sr. Presidente, que queria deixar registradas no Pequeno Expediente, como contribuição à discussão sobre a política nacional de resíduos sólidos. Esperamos que São Paulo seja uma cidade líder neste campo também.

Muito obrigado.