Discursos

25/07/2013

13/09/2011 – 100 anos do Theatro Municipal

Sr. Presidente, nobres Vereadores, telespectadores da Tv Câmara São Paulo. Boa tarde.

Ontem, o Theatro Municipal de São Paulo comemorou seu primeiro centenário com a estréia de uma nova produção da belíssima ópera Rigoletto, de Verdi.

Data emblemática e que só pôde ser de fato comemorada graças a uma série de medidas que foram tomadas ao longo desses últimos anos.

Medidas essas que tinham por objetivo garantir, meus nobres colegas, que São Paulo voltasse a ocupar o lugar de vanguarda artística que sempre lhe coube.

O espaço passou por uma completa reforma em sua estrutura física – restaurando a fachada e seus interiores, recriando a pintura interna original.

O palco por onde já passaram estrelas do quilate de Maria Callas, Enrico Caruso, Arturo Toscanini, Mikhail Baryshnikov e Ella Fitzgerald, entre outras, foi completamente modernizado.

Mas esta foi apenas uma das medidas. Era preciso agir em outra frente e garantir o caráter público do teatro. E foi o que fizemos.

Com a sanção, pelo prefeito, do projeto de lei nº 9/2010, que relatei aqui na Câmara Municipal, a modernização do Theatro Municipal chegou também à sua gestão.

Agora, a estrutura organizacional do teatro paulistano é garantida por lei – única no mundo todo. Estão reunindos duas escolas públicas de excelência, a de dança e a de música, além de corpos como a Orquestra Sinfônica, a Orquestra Experimental de Repertório, o Balé da Cidade, o Quarteto de Cordas e os corais Lírico e Paulistano.

Mas o maior ganho para o Theatro é a possibilidade de regularização do vínculo profissional dos artistas. A situação de trabalho do corpo artístico do Municipal se arrastava há anos, embora jamais tenha comprometido a excelência das apresentações.

Depois de décadas de insegurança, realizando atividades por meio de contratos temporários, que não lhes garantiam direitos trabalhistas, os corpos estáveis do Theatro passam a ser contratados por meio de uma organização social especializada, que celebrou contrato de gestão com a Fundação nos termos da legislação.

Da Semana de Arte Moderna de 1922 às Viradas Culturais do século 21, o Theatro Municipal vem deixando sua marca na cidade e no país. Com a nova lei, mais que nunca, estão garantidas as condições para que continue sendo assim.

Parabéns Theatro Municipal! Parabéns São Paulo!

Muito obrigado!