Discursos

09/10/2013

100 anos do Parque Buenos Aires

Boa tarde a todos: Colegas; amigos da TV Câmara São Paulo; Presidente orgulho do PSDB, Claudinho de Souza, nosso 1º Secretário da Câmara Municipal de Vereadores; queria cumprimentar meus Colegas presentes, os nobres Vereadores: Aurélio Nomura, combativo na área do Meio Ambiente; Andrea Matarazzo, que conhece a cidade como poucos; Zuzinha – Mario Covas Neto; Gilson Barreto, nosso decano; Patrícia Bezerra; Coronel Telhada; e o Vereador Eduardo Tuma que, nessa manhã, deu um show de firmeza, deu um show de conhecimento regimental, ao enfrentar o Governo e sua tropa de choque que – como um rolo compressor – queriam aprovar, na Comissão de Constituição de Justiça, o Plano Diretor e o aumento brutal do IPTU em São Paulo. Registro o agradecimento da Bancada de Vereadores do PSDB ao nobre Vereador Tuma, por sua luta vitoriosa, na manhã de hoje, na Comissão de Constituição e Justiça. Parabéns!

Aproveito também para parabenizar o nobre Vereador Antonio Goulart, Presidente da CCJ – Comissão de Constituição e Justiça, que, como magistrado, soube cumprir à risca o Regimento desta Casa, permitindo que a Oposição tivesse o mínimo de fôlego para discutir com a sociedade projetos dessa importância e dessa envergadura, antes do rolo compressor do “Sr. Prefeito Maldade”.

Sr. Presidente Claudinho de Souza, hoje gostaria de dedicar alguns momentos para celebrar um dos mais importantes oásis que esta cidade ostenta: o Parque Buenos Aires. No dia 20 de setembro passado, esse recanto de paz completou cem anos e sinto-me na obrigação de pontuar um fato tão relevante para uma cidade que sofre com tão pouco espaço verde.

Após desapropriar uma área em 1912, a Prefeitura inaugura, em 20 de setembro de 1913, a Praça Higienópolis, que passa a se chamar Praça Buenos Aires no mesmo ano. Com uma bela vista, à época, do Vale do Pacaembu e uma excelente opção de área verde para a população, o parque incluía cercamento, espelhos d’água e esculturas, entre outros elementos de infraestrutura. O projeto, que ficou pronto em 1916, contava também com uma elevação, na parte central do espaço, com direito a mirante e telescópios de observação. Em 1987, a então Praça Buenos Aires passou definitivamente a ser chamada de Parque Buenos Aires.

Sua magia é que, em pleno burburinho de prédios, ônibus e carros, em pleno Centro da Cidade, encontramos uma rica fauna e flora. Lá, com facilidade, podem-se avistar aves como: tico-tico, sabiá-laranjeira, sanhaço-cinzento, sanhaço-de-coqueiro, periquito-rico, rolinha e pardal. Na copa das árvores, é possível observar a rabilonga alma-de-gato, o belo pica-pau-de-cabeça-amarela ou joão-velho e a algazarra de casais de bem-te-vizinhos-de-penacho-vermelho. Também aparecem gambás-de-orelha-preta. Quanto à vegetação, o Parque Buenos Aires, com suas alamedas e seus jardins, nos presenteia com mais de 70 espécies de plantas, entre as quais canelinha-cheirosa, embaúba-branca, falsa seringueira, ipê-amarelo, jequitibá-rosa, pau-de-incenso, pinheiro-bravo, quaresmeira e seafórtia.

Entre as tantas variedades encontramos também, nobre Vereador Claudinho de Souza, até mesmo o pau-brasil, a peroba e o pinheiro-do-paraná, que estão ameaçados.

Mas, o Parque Buenos Aires, nobre Vereador Andrea Matarazzo, alia a natureza à cultura. Em seus espaços, encontramos esculturas de autores famosos, como Veado Atacado e Leão Atacado, vindas da França e esculpidas em bronze, e Mãe de Caetano Fraccaroli, esculpida num só bloco de mármore. O Tango, de Roberto Vivas, em bronze e granito, e uma cópia em bronze da escultura Emigrantes, do nobre artista revolucionário judeu Lasar Segall, constam do acervo do parque. A escultura de Lasar Segall pôde ser inaugurada no parque graças à aprovação de uma emenda apresentada por mim. Cinquenta mil reais foram gastos para que nós fizéssemos a primeira reprodução pública de uma escultura de Lasar Segall.

Além de seu playground, o parque possui o parque dos cães, uma área específica onde os cães podem correr livres e se sociabilizar em meio à afobação da cidade grande.

Quem passa desatento dentro do ônibus pode reparar às vezes em alguns quantos exercitando atividades gratuitas como Tai Chi Chuan e Lian Gong, além de vários praticantes de caminhadas, corridas e meditação.

Com suas frondosas sombras das copas de até 40 metros de altura, com sua arte que emociona a alma, com seu espaço verde em meio ao cinza que nos rodeia, o Parque Buenos Aires há cem anos mitiga o matiz cinzento de nossa cidade, tornando-a mais verde, trazendo a natureza e a possibilidade de respirar um pouco mais tranquilo em meio a tanta agitação.

Parabéns à nossa cidade de São Paulo por salvaguardar um espaço tão precioso por 100 anos. Parabéns ao Parque Buenos Aires, e que venham mais 100 anos.

Muito obrigado, Sr. Presidente.