Discursos

07/08/2013

05/03 – Cultura perde José Mindlin

José Mindlin

A cultura deste país está em luto pela morte do maior bibliófilo do Brasil: José Mindlin, que se foi aos 95 anos, deixando um exemplo de vida e um legado e tanto a todos nós brasileiros. Ele foi o responsável por organizar a maior e mais importante biblioteca particular do Brasil, doada em 2006 à USP, para ser usada por cada um de nós: a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin.

Mindlin também foi um empresário de sucesso, fundador da Metal Leve, e é membro da Academia Paulista de Letras e da Academia Brasileira de Letras.

Sua história de vida, porém, ultrapassa tudo isso. Mindlin foi um incansável guerreiro, que lutou pelo Brasil, seja combatendo a ditadura militar, seja apoiando os que dela sofriam pressão e até debatendo os grandes assuntos do desenvolvimento do país. Estimulava o aprendizado, era um defensor ardoroso da cultura, da liberdade e da democracia. Prestou extraordinários serviços ao país.

Um brasileiro exemplar; um intelectual respeitado e com os pés no chão. Tudo isso até os seus 95 anos de vida. Sua altivez e sua dignidade enobrecem o Brasil.

José Mindlin começou a colecionar livros cedo. Aos 13 anos, comprou “Discurso sobre a História Universal”, de 1740. Após oito décadas de colecionismo, ele reuniu um acervo de 40 mil títulos, raridades entre eles, como a primeira edição de “Os Lusíadas”, de 1572.

Em sua Coleção Brasiliana, doada à USP, estão cerca de 17 mil títulos (ou 40 mil volumes) de literatura e manuscritos históricos. É considerada a mais completa reunião de livros e documentos sobre a formação do Brasil. Ao doá-la à USP, a preocupação de José Mindlin foi não deixá-la morrer e, ao contrário, tornar-se eterna e útil.

Obrigado, Mindlin, pelo legado deixado a todas as gerações de brasileiros.

Muito obrigado.